quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Ando um bocado indecisa em relação ao que me faz mais nojo

-Se a conversa da merda da oposição que compactuou com todas os factores que levaram ou facilitaram as recentes tragédias e agora vem com pedidos de desculpas igualmente merdosos - sendo-me óbvio o intuito subjacente que me deixa bastante claro desculparem-se é um caralho, o que querem de facto é agradar ao Povo que sabe-se lá porque cargas de água, ao invés de os encostar a todos a uma parede contenta-se com um pedido de desculpas e manifestações silenciosas - de modo a chamarem as brasas às suas sardinhas igualmente conspurcadas, se não pela participação directa em decisões que culminaram no que se viu, pelo menos na total abstenção de qualquer voz activa, como lhes competia,  com as mesmas, durante anos e anos, o que me leva a concluir terem aquelas posturas de madalenas arrependidas o único objectivo de desacreditar (ainda mais) o governo vigente,

-Se  a cegueira a raiar o colectivo, em não se alcançar o facto de que estavam reunidas todas as condições para a mão criminosa a soldo de sabe-se lá de quem  (embora se imagine),  poder cumprir na perfeição os seus objectivos, e que, exactamente porque essas tais condições, que foram e são da responsabilidade de todos aos que sentam o pandeiro na Assembleia da República, todos os dias, tornaram praticamente impossível minimizar o que sucedeu, 

-Se realmente se acha coerente que em 4 meses se tivesse conseguido mudar definitivamente fosse o que fosse,

-Se de facto aquele discurso olho do cu do nosso Presidente fez alguma diferença no sucedido -  e lá vai mais abraço e mais beijinho, e ai, ai governo! que se estão  a portar tão mal! -  sendo que todavia também nada mais faz, mas o pessoal aplaude porque sim,  hey, quem não gosta de um chamego, né? 

-Se a exigência de demissão da côr política em funções - que embora seja a quem se deve pedir satisfações, não as tem para oferecer,  exactamente pelas razões que todos conhecemos mas convenientemente nos esquecemos, quando em debates que não levam a lugar nenhum como nomeadamente aos que temos assistido por estas redes sociais afora, e que quando muito, quanto a mim, só servem para desrespeitar a memória dos que partiram  à conta de mais esta clara demonstação do quão putrefacta é a classe política deste País - não lhes dando a oportunidade de pelo menos tentarem endireitar o que está torto há séculos, como se outros merdas quaisquer a ocupar aqueles lugares fossem fazer melhor, os mesmos merdas que lá estiveram e foram o fio condutor para o estado actual das coisas,  para além da dúvida que se me impõe, no sentido de escrutinar se o que precisamos mesmo agora será de  perdermos mais tempo com moçõezinhas de censura e eventuais eleiçõezinhas antecipadas, ou deixar os que lá estão acelerar hipotéticos processos já iniciados, a ver no que dá, e se não seria de se esperar que todas as outras forças políticas, igualmente culpadas, repito, unissem esforços nesse sentido, discorro eu que nunca votei PS em toda a puta da minha vida.


É tudo.

   


quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Mas é claro que sim, Donna Karan, é claro que sim...


"Designer norte-americana defende o produtor Harvey Weinstein acusado de assédio sexual."

(...)


(...)


Mesmo porque, falando por mim, sempre que vejo um homem de músculos ao léu, por exemplo,  a primeira coisa que me ocorre é assedia-lo sexualmente e acho isso perfeitamente natural. É um reflexo, digamos assim. Uma coisa incontrolável. Faz todo o sentido, em suma,  justificarmos  a filha da putice de alguém, com o que os outros vestem e mostram, ou como dançam. Sim. Porque vejamos, eu sou mulher e tenho instintos, né? E desejos e isso assim, logo, se um marmanjo me aparece à frente com aquilo tudo a transbordar, logicamente que a única mensagem apreendida é a de "estar a pedir" qualquer coisa. Pois. E nem sequer é um par de chapadas, uma camisa, uma t-shirt, ou a direcção de um estabelecimento qualquer onde se possa abastecer de vestuário que lhe dê um arzinho decente, não senhores, que eu cá é que decido o que o marmanjo "está a pedir". Assédio. Olé. É praticamente um direito que me assiste, acho que até vem numa Constituição qualqu...

Ai não..?! 

... Ai sim??
  
Ai este discurso bestunto é só pra homens, por causa daquilo do não sei quê que não conseguem controlar, e, tadinhos, que vêm com um canal a menos e logo aquele que transmite a razão desde as zonas genitais até ao cérebro, por isso é que há uns que por vezes ficam perfeitos trogloditas, obviamente sem responsabilidade nenhuma?? 

Epá... 

É que não estava nada à espera...

Olha, então dá a por mim uma beijoca rechonchuda ao teu amigo Harvey, e depois diz-me, ó Donna, como é que a gente explica aos outros todos  - os decentes ... *belhéque!* - que aparentemente andam a fazer tudo mal, uma vez que não assediam as engonhadas que andam com metade do corpo de fora. Ok? 
Com calma e muita tranquilidade. 
Temos tempo. 
Até porque a tua agenda deve ter perdido metade dos clientes.

Sua estúpida da merda.  
  


quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Pode ser esta a primeiríssima vez em que os Muçulmanos e Católicos eurh ... vá, "convictos"*, estão de acordo em alguma coisa

Então e essa festa, meuzamigos??  




* Hoje estou bué da bem disposta.:))


Com tanto património imobiliário alegadamente adquirido pelo Engº Sócrates, com o capital cá da malta


Acho que já era de nos deixarmos de conversas da treta sobre politiquices que não nos levam a lugar nenhum, e  lançavamo-nos era à feitura de um mapa de férias popular. 
Hum..?! 
Apoisé. 
E como fui eu que tive a ideia, entendo ser justo que tenha a primazia, portanto:
Isa Maria para  a 1ª quinzena de Novembro deste ano,  em Paris.  
Agora entendam-se praí com as outras opções.


Ps: Blogger, acho a vossas tendências partidárias um amor, pás, mas eu cá gosto das minhas cenas ao centro. Arranjem lá isto, por obséquio.


sexta-feira, 29 de setembro de 2017

No Dia Mundial do Coração, post para os que o têm em lugar incerto (quiçá na peidola, mas não vamos agora esmiuçar isso)

Aos ressentidos,  magoados, aos injustiçados  pela vida, aos que tudo acontece e tudo o que lhes acontece nunca aconteceu a mais ninguém, aos atingidos por suas próprias acções, tendo, porém, estas derivado de não mais do que de pequenitas explosões de "mau feitio"- porque ninguém é de ferro - devido ora ao piu-piu que piou fora do tom, ora à chuva que, ausente, lhes deu cabo dos tomateiros, ora ao Sol que, tendencioso, brilha mais a Sul que no resto do país, ora à economia que prejudicou mais a uns que a outros, ora à rádio que não toca a música que querem, ora tão óbvia perseguição que lhes move o mundo e só não vê quem é cego ou é cúmplice naquele intento, ou ora a puta que os pariu, que havia era de lhes ter dado com um pano encharcado nas trombas todos os dias das suas adolescências mas hey ... e que,  entre cada lamento por hectare com que poluem a terra e  a atmosfera, lá vão arrecadando suas grogues memórias em grutinhas de conveniente esquecimento, e que estão sós, tão sós, ó .. tão sós, nas batalhas lá do que entendem ser por uma justiça que pelo menos por uma puta de uma vez na vida, os havia de contemplar com as suas benesses, Isa mai linda ajuda: 



 


Aos que o têm em sítio detectável - beca mais à direita, maior ou menor que o desejável, não interessa - assim como as suas racionalidades, maturidades e afins, que são pessoas lindas e da paz e etc: Cuidem-se. Sigam as orientações de quem de autoridade para, e verão que tudo correrá pelo melhor.

Cá jinho. 

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Morreu o pai da punheta unida & independente :(

(...)


(...)

Obrigada Hugh, pela tua prestação inexprimível, a este Mundo. Escusado será dizer que ficamos todos paupérrimos. Inconsoláveis.  E revoltados, pois que apesar do avançado da idade, todos esperavamos que continuasses um bocadinho mais, por mais que não fosse, por em prol da preservação dos grilos, essas pobres criaturas tão sacrificadas na  blogosfera. 

Estamos tristes. 

RIP. 




terça-feira, 26 de setembro de 2017

Tenho uma proposta

Saí agora do FB ,  o assunto  hoje é este




E o expectável discurso aviltado de quem não gosta das meninas em questão e o seu uso de verve menos aceitável.

Ora, como sei por experiência serem exactamente aqueles os termos usados pelos descarrilados da espécie que assediam sexualmente, 'bora fazer uma petição a fim de que pelo menos os ditos moderem a linguagem, de forma a que as meninas não tenham que a reproduzir à letra e assim não amofinar o pessoal das conchinhas, poupando-os ao transtorno de se quedarem  com uma ideia bastante real do que é o Mundo? 

Ora pensem lá nisso.