18 de setembro de 2018

Aderindo à cena

Fui há pouco ao multibanco levantar um pilim. Atrás de mim 3 pessoas. Constato que a máquina estava sem dinheiro. Aviso o pessoal. Ninguém estava à espera, foi um desatino. Quase semelhante à morte da princesa Diana..:(

É isso! Ai Nossa Senhora dos Apardalados, tanto que matutei sobre com que acontecimento se estariam os meus filingues a identificar, quando foi noticiada a sua saída TVI!



À morte da princesa Diana. Tal e qual! O mesmo choque, a mesma consternação, mesmo típico de quem não via isso, não estava preparada pra isso. Em minha defesa,  talvez por não ver a TVI e mais as suas cacas e deprimências,  é claro que não podia "ver isso", né...? Mas prontos. Facto é que, efectivamente, sempre pensei na dupla como a simbiose perfeita, ali aconchegadinhos um ao outro, um aos gritos, o outro a qualquer coisa, sempre muito bem dispostos, coniventes, cúmplices, amorosos, décibeis a rebentar as escalas pra lá, converseta da treta pra cá, a ajudarem a estragar uma casinha só, uns amores. 

Bem que quando soube da tremenda não notícia, para além de me sentir significativamente nem aí, notei em mim um desejo extremo de prantar um ramo de flores aos portões de algures, sendo mesmo que até andei cogitante durante uns dias à pala do "mas onde... onde...?"
Estava quase a desistir de me compreender, até que .. isto. 
Ufa. Que alívio! Odeio não me conseguir decifrar, sou uma aficionada pelos habitantes da galáxia Alguém Cala Esta Gaja/o, Pela Saudinha da Pobre da Amazónia, Coitada, Que Deve Estar Em Espasmos - aqui chamamos-lhes "acidentes", lá não sei - de modo que, obrigada CF por este esclarecedor momento. Muitas felicidades no seu novo trabalho, trate bem dessas cordas vocais, e se não for abusar do seu caríssimo tempo, dê por mim uma beijoca gordalhufa de carinho sincero, ao seu ego, xim?


(Por mim, Cristininha, eu disse por mim). 


14 de setembro de 2018

Porque sou uma pessoa justa, perfeitamente capaz de reconsiderar opiniões do passado

Sou a comunicar que,  após avaliação aos recentes posts da picante -  desde sensivelmente  Agosto do corrente ano  até à presente data - pois que sim, reconheço-lhe, por fim,  o seu tão auto proclamado bom gosto, opíparo sentido de humor, análises profundas e refinado sarcasmo .

Parabéns mana blogger. 

11 de setembro de 2018

"Racismo", pois está claro. (Bem que senti a falta de um outro "ismo" qualquer na equação, era assim como amorfar um arroz doce sem a respectiva canela, uma sardinha sem o seu indispensável pimento, ou um Natal sem a merda do Bolo Rei, enfim), até que... POP!, cá está ele. Ahhhh..:)) Agora sim.


«It was “without consideration for the painful historical context of such imagery and how it can support biases and racism today”, she said. “Why wouldn’t a human being care about that?”»

«The National Association of Black Journalists said the cartoon was “repugnant” on many levels.»

«The Washington Post noted Knight drew Williams with facial features that reflected caricatures common in the 19th and 20th centuries.»

https://www.theguardian.com/media/2018/sep/11/repugnant-racist-news-corp-cartoon-serena-williams-mark-knight




São alguns dos reparos feitos ao fabuloso cartoon de Mark Knight, onde se incluem os de Masaba Gupta, J.K. Rowling e Bernice King, o que, só por si, já impõe ali um respeitinho considerável, em virtude das suas enormes projecções em vertentes importantes da sociedade, da actual, que se fosse da da antiga estava-se tudo a cagar pra elas, sendo que por acaso, tenho muito  pra mim,  que em algumas das actuais também há muito quem cague pra elas. Mas hey, isto são só juízos de valores meus, quem sou eu né? Pois.  

De facto, penso ser de fácil percepção o intencional realce dado às feições da Serena, num intuíto patente de as remontar conforme as caricaturas comuns às do século 19 e 20, de onde, se compararmos com uma imagem da flor, se depreende, sem o menor esforço, a pérfida intenção "racismo". Serena Williams não apresenta, de todo, as feições características da sua raça. Mark Knight é que carrega na sua essência algo de muito perturbador, menino feio e preconceituoso (é cartoonist, estes gajos costumam ser um bocado ... vá ... à imagem do que desenham: exagerados, é bater-lhes imenso e chamar-lhes nomes, até que comecem a desenhar fidedignamente e a óleo, que por acaso é uma Arte muito bonita), viu uma mulher preta a fazer uns disparates, e aproveitou para derramar, através do seu traço, a mesquinhice de sentimentos que lhe vão na alma. A corroborar a teoria, observe-se agora o desenho na tua totalidade: 
Lá está também  a grande Naomi Osaka - em 2º plano, naturalmente, espero que os Japoneses não levem nada a mal, na medida em que não foi mesmo nadinha do que se passou e passa - a quem o artista, conforme reclama o coro dos" Aiiiiiiiiiiiiii ...Dói! Dói muito...",  lhe clareou o tom da pele, a pôs com cabelos aloirados, como que a querer faze-la passar por uma "mulher branca"e assim, ostensivamente, mais uma vez  depreciar ainda mais a equilibradíssima Serena, talvez por considerar que a mesma ainda não se teria depreciado o suficiente.  Ora, a Naomi não é uma "mulher branca". Lá porque parece ter umas cores loiras no cabelo, continua a não ser uma "mulher branca", bem como lá porque a intenção do artista possa sugerir  evidenciar o comportamento da Serena, certo é que a Naomi não é uma "mulher branca", o que, consequentemente, torna mui evidente as reais intenções  - maquiavélicas - de Knight, essse Australiano do caraças, mau, mau, mau comás cobras ( força de expressão, desculpa aí ó PAN), que, quanto a mim, havia de ser deixado por umas horas, numa reserva natural de cangurus indisciplinados,  gays ou assim, a ver se gostava. 

É racismo. Puro & duro. Nota-se perfeitamente que é, o que me leva a ir ainda mais longe num hipotético castigo, propondo que de seguida àquilo dos cangurus, lhe pusessem uma preguiça a ir-lhe buscar uma bejeca, por exemplo, a um bar de um senhor - ou senhora, não vamos agora ferir susceptibilidades - aborígene. 

Este assunto deixou-me muito indisposta pois que odeio injustiças, muito em particular com pessoas desvalidas com a querida Serena, e depois continua-se-me aqui a roer o ratito da indignação, na medida em que não sei como se chama o preconceito que consiste em se aumentar, desmesuradamente, os narizes das pessoas em desenhos - ainda pensei em "cartoon", mas estou cá desconfiada que lavro em erro, mesmo porque não acaba em ismo - e acho que o Carlos Ramos também não sabe, uma vez que está caladinho, talvez também à procura do dito, em calhando em prantos, de ferido nos seus sentires, o que acho muito mau, triste e preocupante, de modos que, por uma questão de solidariedade para com o meu compatriota, aqui escrevo o que consigo, já que não encontro palavras que expressem na íntegra a minha revolta: - Está mal e é mau! Horrível, mesmo! Urghh..! Arghhh! Que tristeza de mundo, que humanidade tão cruel, tenho a certeza que é um nariz como outro qualquer, com os mesmos deveres e direitos, sentimentos e emoções! Tu conhece-lo Mark?! Por acaso já privaste de perto com aquele nariz, Mark?! Então não o julgues! Há-de ter coisas boas e más, como outro nariz qualquer, MARK, TU LARGA O NARIZ DO RAMOS, SEU ( designação do preconceito) DO CARAÇAS!

E a chucha??

(... Querem ver que o grande sacana está a sugerir "pedofilia"....???)

(... Ou será alguma referência menos digna à recente maternidade da querida Serena...?)

(... Hummm...)

Tadinha da Serena... :(





Ps: Guerras, fome, chacinas, torturas, queixas à séria de preconceitos,  será que ainda há...?

Acordei perguntadeira, deslarguem-me! Tenho que parar de comer pinhões a seguir ao jantar...




10 de setembro de 2018

Serena Williams

Espero que  aí, onde puseste em causa o género que representas, o desporto que praticas e  a maternidade que tanto prezas - uma vez que a usas como argumento em situações tão nada a ver - agora te mandem para casa escrever umas 25788 vezes: 

- Fui um bocadinho estúpida  e mal educada. Tenho mesmo que meter nesta cabeça que o meu nome não se sobrepõe às regras da modalidade que pratico, "sexismo", embora muito em voga, não justifica a minha atitude, mesmo porque, caso fosse o caso, sempre o poderia ter discutido de outra forma e noutro lugar. 


E depois, a pagares  a multa que te aplicaram por teres insultado o árbitro. 


28 de agosto de 2018

Deixemos a cena do comboio fretado pelo PS à CP para uma próxima oportunidade, que uma gaja já anda com problemas de digestão à conta de tanta bosta. Admiremos, para já, o Festival "putas & vinho verde" de Pedrogão.


"O que a reportagem da TVI mostrou não foram suspeitas. O que a reportagem da TVI mostrou foi a CONFISSÃO de CRIMES por parte de vários CÚMPLICES, e todos apontaram este senhor como o mandante e organizador do roubo (há outros, lá chegaremos). Num país infestado de corrupção é normal que o primeiro ministro, presidente da república e outros não queiram dizer nada. Mas as pessoas não acham normal. Como é que este homem ainda é presidente da câmara? PARTILHA #reportertvi#casasnovasdepedrogao #compadrio"








"O filho da senhora Cristina não tinha casa em Vila Facaia. Mas, graças ao fogo, e à morte de 65 pessoas, agora já tem! Como diz a senhora Cristina, o filho dela, funcionário da câmara (compadre) só roubou um poucochinho, mas quem roubou muito foi para ali um de Nodeirinho.
PARTILHA se não queres que o assunto seja esquecido. #reportertvi #compadrio#casasnovasdepedrogao"



"Telmo ocupa o importantíssimo cargo de Filho do Presidente da Câmara em Pedrogão Grande. Quando mente o Telmo toca na cara. Os presidentes das juntas cujas mães e irmãos saíram do fogo com mais casas que as que tinham antes dizem que foi a câmara que lhes disse para mudar a morada fiscal. E tu que dizes Telmo? #reportertvi#compadrio #casasnovasdepedrogao"




"a sogra deste senhor tinha uma casa no concelho de Pedrogão. Mas agora, por causa do fogo, ficou com duas. Há gente com sorte! #ocompadrio #reportertvi"




"A filha do senhor José não tinha casa em Pedrogão. Mas, por causa do fogo do ano passado, já tem duas! Afinal há histórias que acabam bem!"




«"é muito triste gamar o dinheiro dos donativos"
"mas você também o fez, você foi cúmplice deste esquema"
"pois fui... como as outras pessoas também"
partilha se também gostavas de ter uma casa nova em Pedrogão como o Augusto. #casasnovasdepedrogao #tvi»





"Não percam na reportagem da TVI: "não me lembro se recebi uma denúncia" "eu recebo emails todos os dias" "ah, sim, recebi" "não me lembro se reencaminhei" "não, não vou confirmar se reencaminhei" "se eu disse que reencaminhei é porque reencaminhei". Partilha se achas que o trabalho de uma vice-presidente da câmara é reencaminhar emails e nem isso faz, porque trabalhar tá quieto. #casasnovasdepedrogao"

2 de agosto de 2018

"Se fores incompetente, não podes saber que és incompetente" - I


Hélder Milheiro, porta-voz da PróToiro, Federação Portuguesa de Tauromaquia



Em entrevista ao "Vozes ao Minuto". Não me surpreendeu, mas deixou-me, todavia, muito periclitante entre qual das bacoradas hei-de eu acalentar com mais carinho, porque uma pessoa em estado de dieta permanente tem mesmo que ter ao que deitar mão, quando lhe apetece, por exemplo, aviar brigadeiros como se não houvesse um amanhã, induzindo-se  assim ao enjoo compulsivo:


Esta..

"Porque é de proibição que estamos a falar. O PAN tenta amenizar usando a palavra abolição, mas é de proibição que se trata. E sabemos que os partidos têm uma posição de respeito pela liberdade, pelos direitos e garantias que estão a ser atacados pelo projeto do PAN."



Proibir: Ordenar que não se faça
Abolir :   Anular, fazer cessar.

Lá está. Uma coisa era ter-se abolido as touradas, mesmo antes de ter lembrado ao 1º neardental portador de micropila por-se a massacrar bichos porque sim e porque, quiçá, uma questão de compensações, outra - bastante diferente - é agora em plena vigência do século XXI, virem  meia dúzia de parvos querer proibir coisas. Não. Não! Não agora que já atingimos um nirvana do camandro, somos todos tão civilizados, conscientes, iluminados, pacíficos e essas merdas todas. Não! Nós estamos todos perfeitamente cientes do que é a "Liberdade" de cada um, eu prezo a minha, a pessoa preza a dele, sendo que é dentro do tanto que se sabe prezar o conceito, que posso perfeitamente gostar de touradas, massacrar animais e etc, em virtude de o meu livre arbítrio passar por isso mesmo: Gostos.





Esta..?

"Temos que olhar para a ciência e perceber que animal é este. O touro é um animal selecionado há mais de 300 anos em função da sua bravura que é a resistência à dor, é a capacidade de investir e acometer continuamente superando qualquer tipo de sensação de dor. Por que é que perante o estímulo da bandarilha o touro não tem o reflexo de fuga que é a reação natural à dor, mas tem a reação inversa que é de investir? Segundo a ciência o hipotálamo - zona do cérebro responsável pela segregação das hormonas responsáveis por bloquear os recetores da dor – é 30% maior nos touros. Provavelmente como resultado da pressão feita pelos homens, o touro tem vindo fisiologicamente a adaptar-se ao contexto da lide, ou seja, tem mecanismos fisiológicos que lhe permitem reagir de forma diferente às situações de dor."
Em que o indivíduo, pese embora o  seu"provavelmente", aparenta ter dados científicos de algo que me transcende ( não sabia que o tamanho do hipotálamo está directamente relacionado à endurance enquanto aos estímulos que recebe, por vias de uma qualquer memória genética, por exemplo, como depreendo do depoimento em apreço - o que, se assim for, juro pelos deuses que não entendo como é que o meu responde tão negativamente a filhos de uma puta, uma vez que toooooooooooooooooooda a minha árvore genealógica decerto se confrontou com uns quantos, e neste contexto eu já havia de estar mais impermeabilizada ao DNA dos atrás referidos - bem como àquilo de o toiro investir, quando vê a bandarilha, argumento que se me afigura com uma lógica do caralho. Portanto: Se o toiro investe, só pode ser por querer ser espetado. Naturalmente. São animais muito bravos, que há 300 anos aprenderam a brincar com o humano, a quem tanto apraz, volta e meia, umas reinações assim pró sanguinário, maneiras que. 


Esta..?

"O argumento do PAN é um argumento que se baseia em quê? Onde é que está a análise do touro e da sua fisiologia e os dados científicos que fundamentam essa análise? O que o PAN fala no projeto é de bovinos, de vacas leiteiras e coisas do género e não se baseia em termos científicos daquilo que é o touro bravo."

("Dados científicos". O elemento precisa de "dados científicos"que fundamentem a "análise"). 

Bom ... Espetar coisas/Sangue = Dor. 

(Mas eu não sou cientista, é tudo baseado em experiências próprias. Calma). 



Ou esta..?

 "A PróToiro defende a tauromaquia como fazendo parte da Cultura. Esta mesma cultura é também argumento que serve o PAN que recorda que “da nossa herança cultural faz também parte a escravidão, a inquisição e a pena de morte e todas foram abolidas”.

- "Felizmente! É exatamente porque os homens são diferentes dos animais que não é admissível que qualquer humano seja tratado como outra coisa que não seja como um ser humano, estamos a falar de direitos humanos. É essa a diferença. O PAN quer criar uma lógica animalista e o que o animalismo tem na base é a ideia de que os animais e os humanos são iguais, que não há diferença."
Esclarecendo que não sou PAN, nem os tenho em grande apreço em virtude do praticamente nada que lhes vejo como resultado das suas intenções, mesmo sabendo que neste caso em particular se confronta um lobby saber-se que quando nestes confrontos, as primeiras guerras perdem-se sempre, "cultura", cara PróToiro, é algo que enriquece, mas não no sentido a que estais habituados. Cultura é o património, a história, é a gastronomia,  o idioma, a música,  o folclore, o território, é a literatura de cada Nação. Cultura é conhecimento, inclusive o conhecimento de, ao reclamarmos a superioridade humana, termos a dignidade de o fazer, agindo de acordo com o que nos fomos descobrindo através dos séculos da nossa pobre existência, pelo que, efectivamente, é muito de lamentar que por esta altura, ainda se tenha que reclamar uma "lógica animalista", lógica essa que não consiste em nos minimizar, mas antes em nos por, caro caramelo, no lugar que nos pertence; O de seres a caminho da efectivação da nossa superioridade racional e intelectual. 

Olha! ... Acho que já escolhi.