30 de janeiro de 2018

Mas porquê que estás sempre ca azia, ó Isa, pá, logo tu que tens uma carinha tão uinda, tão uinda tão uinda, caté um cirurgião conceituado cá da praça, hum, dia destes te propôs um lifting

Dizendo que - e cito - "caras assim é que são o sonho de qualquer cirurgião", [deixamos este assunto pra mais tarde, que não estou pra m'enervar mais à conta de eventuais mensagens  e/ou perspectivas subjacentes a determinadas afirmações, maneiras que o melhor é deixar-se o assunto quedo, sogadito, não mexe qu'ainda explode, ok? lá a ver ...] e cinjamo-nos, portanto à questão inicial: 
- Porquê ? 

Porque quando uma gaja é boa, fode-se sempre, é certinho e  eu explico. Atão, aqui há tempos andava a pessoa nos seus afazeres, lalala, e vai que um vizinho me diz ter visto um gatito muito pequenino no nosso jardim, ai tadinho que não vai sobreviver, ai tadinho que o caralho, ai tadinho, ai jesus. Bom, a gaja vem por a cadela a casa, agarra na lanterna e lá vai à aventura, arbustos afora, pedindo aos santinhos todos que não encontre nada e volta pra casa toda contente, porque não encontrou mesmo.  De acordo com a minha empregada que é toda religiosa,  não encontrou, porque pedi pra não encontrar naquela noite, o que derivou no facto, óbvio,  de o ter encontrado na manhã seguinte, ou seja, da próxima vez explica-te melhor, sua estúpida, especifica aí o tempo da coisa,  muda o agora pra nunca, que o pessoal lá dos esotéricos tem mais o que fazer que andar a adivinhar os teus verdadeiros anseios, os quais são basicamente manterem tudo o que respire e não pertença à minha esfera de respirantes já devidamente aceites e validados, longe de mim.  Prosseguindo, haviam de ser aí umas 8h da madrugada do dia seguinte,  quando a moça me envia uma mensagem, abro aquilo e lá está a resposta dos deuses, esses mocados do catano: Uma imagem de um gatito todo cagado, mínimo, pregado ao chão, com o ar mais desvalido que eu tinha visto ultimamente, macérrimo. Senti uma pontada no peito, não percebi muito bem o significado daquela mensagem, senti outra, continuei sem compreender, mais outra, fiquei fodidíssima porque estava cheia de pressa, em virtude de justamente nesse dia ter combinado com o sócio de irmos brincar aos empresários e aquela porcaria fez-me desalinhar o eyeliner, até que se me fez luz, concluindo aquele desassossego ser derivante, provavelmente, de eu ter coração. Exclamei o meu "foda-se!" habitual perante estas circunstâncias,  e respondi à moça "traga lá isso pra casa, sff..".

Foram três semanas de correrias ao vet, à lojinha dos animais, fortunas em latinhas de comida não sei quê,  cortinas destruídas, roupas de cama prá lavandaria, areias prá caixinha, ensina-lo a usar a puta da caixinha, limpar a caixinha,  3 semanas a permitir que o melhor de mim emergisse e ainda por cima sem contenção, ele era beijinhos, o sabichão a usufrir à maluca, a crescer a olhos vistos, eu a leva-lo às varandas todo embrulhadinho em mantas pra não me fugir, um quarto só pra ele, com tv, com musiquinha pra relaxar gatos, durante a noite, toda  a gente a gozar comigo, mas eu "hey.. caguei pra todos vós",  a cadela todos os dias à beira de ataques de nervos à conta dos ataques à ninja por ele efectuados, a cadela a ganir, literalmente, só porque aquela meia leca olhava pra ela, até que consegui um mártir adoptante, graças a S. Berimbau - que é um santo dissidente, tendo formado  a sua própria congregação  -  e ele lá foi.  Mas voltou. Pois. O dono teve que ir fazer coisas, e uma das minhas crias achou simpático disponibilizar os meus serviços durante a sua ausência, sendo que para mais o bicho tinha a castração marcada pra justamente durante a ausência de quem lhe aprimorou as merdas, nomeadamente a de achar que, onde está, é tudo dele. Para já, fica já aqui tudo alertado pró facto de que tirarem os tomates a um gato, não o amansa. No caso em questão, até parece que lhe refinou ali uma rebeldia qualquer, em calhando será mágoa, saudade, não sei, não percebo nada de gatos,  certo é que isto tem sido mesmo muito engraçado de se ver, praticamente um Fellini em tempo real. 
A cadela já não quer comer, penso porque tem receio que lhe saia o esgrouviado de um canto qualquer e se atire a ela. Ele faz peito prá cadela. A cadela ladra pra ele. Então, ponho o bicho no seu quarto devidamente apetrechado pra gatos - é um quarto/escritório, com prateleiras, livros, blablabla e 2 impressoras que estou à espera que ele baze daqui pra avaliar para o que servirão após a sua estadia - com vista pró jardim e tudo.  Ele cala-se? Cala-se, se quando eu o lá ponho, for com o pires encarnado que ele conhece tão bem, à frente dele, mas acabando o pitéu, acaba-se o sossego.Se o deixo sair, não há sítio nenhum da casa onde a bicha possa sossegar os ossos, que o sacana procura-a, e eu estou a 2 suspiros de não interferir, a ver no que dá. Agora também acha giro atirar-se às nossas pernas quando passamos pelos sítios onde se esconde, e eu já não estou a achar mesmo piadinha nenhuma a esta merda é só o que vos digo, mesmo que supondo que seja a brincar, uma vez que não morde, mas caraças, entreguei a alguém uma coisinha toda mimosa de pouco mais de um palmo de comprimento, trazem-me de férias um latagão adolescente e juro que estou aqui a considerar deixar uma janela aberta.  Ontem levou um porradão de espanador - um que o dono trouxe porque diz que ele brinca imenso com aquilo, mas cá em casa prefere os meus cremes e perfumes, e panelas, e tachos, e gavetas, e armários, e mais cortinas, e gavetas , e claro, a cadela - porque estava eu  - EU! - toda de cócoras a limpar-lhe a caixa, e o gajo atira-se às minhas costas. Beeeem ... Foi a levar com aquilo até ao primeiro sofá que encontrou e se escondeu, filho de uma puta que estou que não m'aguento. 

Conclusão, serviu de alguma coisa tê-lo tirado das ruas, acarinhado e entregue a alguém que o trata como que a um rei, quando uma pessoa quer ir tomar o seu banho e tem que pedir a UM GATO que lhe saia de dentro da banheira, onde o tipo se enfiou a brincar com a lingerie acabada de sair do estendal??  Está-se mesmo a ver que sim. 

E ainda por cima, logo agora é que me tiram a merda do não sei quê nanny do ar, se fossem todos cagar á mata, isso é que era.






Ps: Se forem mesmo, pelos deuses levem-me  o bichano.   

2 comentários:

  1. "Para já, fica já aqui tudo alertado pró facto de que tirarem os tomates a um gato, não o amansa." É verdade sim, senhora, eu posso atestar! O meu piorou substancialmente, com certeza que é um daqueles machos muito cientes da sua virilidade que nunca mais me perdoou o facto de tê-lo levado à faca. As minhas pernas têm pago a fatura...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lembrei-me de ti e do cabrão do preto...
      Aliás, sempre que o estupor se atira a alguém, lembro-me de ti e do cabrão do preto.

      Opá.. SOCORRO! P que me pariu se tenho paciência pra isto, é que estou mesmo danada!

      Os machos e a sua virilidade, os machos e a sua virilidade, mas o certo é que quando se liga o aspirador o tipo desaparece pra partes incertas.
      (Tipo os ninos que desmaiam nas salas de parto).:P

      Eliminar