16 de maio de 2017

"Acima de tudo é uma mulher casada, que provou, como a maioria das portuguesas que pode trabalhar e ter filhos, uma vez que não descurou o trabalho e não descurou a casa"

- De Gonçalo da Câmara Pereira, digníssimo herdeiro de um título qualquer que já-não-há-mas-era-tão-bom-que-houvesse, e vice-presidente do PPM,  no seu discurso de apoio à candidatura de Assunção Cristas às autárquicas de Lisboa.


Obrigada Drª Assunção Cristas, por ter provado ao senhor o que ele diz que lhe provou, mesmo embora os milhões de outras mulheres que andam a fazer do mesmo há que tempos. Compreende-se o cepticismo dele,  afinal é um homem, e daqueles a quem, notoriamente, faz muita confusão  o assunto "casa descurada", ou seja, palpita-se-me, dos que percebem muito bem quando uma casa está doentinha, mas não a sabem curar e por  isso é que casaram, e é por isso também, pelo imenso respeito que nutro por homens assim a valer, sempre de verve assertiva, coerente e actual,  que lhe estou muito grata.  

Quero felicita-la pelo acima referido, e por ter aceite o apoio do PPM à sua candidatura. Decisão brilhante. Considero de uma importância bastante vincada ficar o Povo a saber que a sua performance doméstica foi avaliada, e por quem foi. Não sabendo se fizeram o mesmo com o Fernando Medina ... huuummm ... desconfio, todavia,  que não. É ver-se como anda caótico o trânsito em Lisboa e deduzir-se imediatamente que o senhor padece de uma falha enorme e assaz condenável, quanto ao próprio e devido acondicionamento dos lençóis de inverno e verão, bem como o dos cristais para dias de festa e  os de a uso diário. Transportes públicos. Tudo ao molho e fé em deus, assim como, transpira, deve ser a arrumação das meias no bendito Lar do Senhor em questão, já para não falarmos da quase impossibilidade de se estacionar o carro onde quer que seja na nossa maravilhosa capital, concluindo, até o menos dotado nos meandros da intuição, haver, decerto, muito a dizer-se   acerca de quantos pratos prontos a serem usados haverá na casa do Sr. Medina. 
Não pretendo ser má língua. Isto são meras conclusões óbvias que um cidadão infere aí logo pelas 6h da manhã, e depois tem que se preocupar com o assunto pelo resto do dia, o que está mesmo muito mal. Pessoalmente, afianço-lhe que andava toda encarquilhada no sentido de nunca mais me aparecer o dia em que alguém se candidatasse à Câmara de Lisboa, esse alguém tivesse filhos, fosse (obviamente) casado e trouxesse consigo o inapreciável  aval do PPM, no sentido que me garantir um desempenho exemplar tanto em funções estatais, quanto nas privadas. 
Sabe lá a menina pra quantos Presidentes de Câmara - e quem diz eu diz muitos mais, garanto-lhe -  já olhei e pensei *sim, sim... 'tá, ok ... está tudo muito bonito, acho esta rotunda formidável e tal, mas a questão primordial que se impõe de jeito tão avassalador qu'eu sei lá, é sempre a mesma; e  a tua casinha.. estará descurada? Quantas máquinas de roupa farás  tu por semana...?, só nunca perguntei porque são geralmente homens, e há perguntas que não se fazem a homens, né? Podem estar ocupados. 


Despeço-me com votos de muito sucesso, expectante de que lhe corra tudo pelo melhor. A menina tem isso mais do que ganho, é o que lhe digo. Já albergava eu esse filingue, mas depois daquela chancela e daquele discurso, fiquei muito mais confiante.:)) Confie também. 



Isa


8 comentários:

  1. Vou à procura de uma cena que ela disse e já volto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se é a das botas que volta e meia calça e mais as calças de ganga que veste, para ir visitar os bairros sociais, procura no blogue da Gaffe que está lá tudo explicadinho. Magistralmente, como sempre.

      Eliminar
  2. Cá está:

    "tenho calçado botas e calças de ganga muitas vezes, para estar nos bairros sociais"

    Achei giro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :D

      Não é amorosa?? :DDD

      JÁ GANHOU!

      Eliminar
    2. Havia de experimentar ir de fato de banho.
      Só naquela.

      Eliminar
    3. ahahahahahahahahaha!

      Ou de andas!!

      Eliminar
  3. Aaaaaahhhh... como é maravilhoso o mundo do jetset... ou da monarquia... ou da política... ou da alienação... sei lá eu! Afinal, uso calças de ganga e calçado muito raso todos os dias... é por isso que nunca haverei de chegar a lado nenhum... :((((

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens que ir ver a tua árvore genealógica a ver se não tens sangue azul. Se tiveres, nem que seja uma pintinha - ainda que por um teu tio avô, ou assim, se ter dado muito bem com um conde, ou ter ido às sardinhas com um duque - tens um promissor futuro no sentido de andares a visitar os bairros sociais e dares apoio aos menos favorecidos. E depois candidatas-te, pra poderes continuar a ajuda-los!

      Ps: Não te esqueças de mim!

      Eliminar