14 de outubro de 2016

E agora, ladies & gentlemen, o Nobel que ocupa um numero razoável de prateleiras em meu rochonchudo coração, nas mais variadas categorias,

sendo de salientar a imensa dificuldade com que ainda hoje luto, em escolher com qual de suas músicas zarparia para um local longínquo, pejado de coisas que não consigo qualificar, assim igualinho ao para onde esta voz me leva. 
Por razões que me transcendem, pendo sempre pra esta




Mas depois sinto-me em falta e vou ouvir as outras todas.

Ahhh.. o amor. 

5 comentários:

  1. Curiosamente o maior êxito dele é de outro senhor também cogitado para os Nobel, o senhor Leonard Cohen :)

    Mas compreendo o teu sentimento. Este senhor era qualquer coisa. Pena não saber nadar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E era muito bem cogitado para um Nobel, na minha opinião, o Cohen.

      Se foi dar umas braçadas num rio, devia saber nadar, pá... mas misteriosos são os caminhos da morte.
      Grande voz. Muito, muito grande.

      Eliminar
  2. AHAHAHAHAHAAHAHHAHA!
    (sempre achei esta música uma merda de todo o tamanho. Coisa horrorosa, bem boa para dedicar a cagalhões)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vê lá se não deixaste cair a placa.

      (quando é que fazes anos?)

      Eliminar