domingo, 11 de setembro de 2016

Porquê, porquê, porquê....

Estava tudo a correr lindamente, até que descobri ser eu a administradora do meu condomínio. Perguntei desde quando, responderam-me "desde aquela reunião a que a senhora não foi". Bem que tinha estranhado o silêncio sepulcral do condomínio que gere este. No ano passado eu tinha sido a sub não sei quê, e como o administrador em funções estava sempre muito ocupado, fui eu que, basicamente, criou ali uns laços de amizade fortíssimos com a tal outra administração, concretizados através de mails aos quilos, telefonemas aos baldes e tudo para ontem, sff. Os meus vizinhos andavam contentíssimos. Este ano já lhes tinha notado um olhar magoado, mas hey, pra mim esta gente esta sempre magoada com qualquer coisa e eu assumo sempre que é porque sou a única a ter cães, agora só um, mas ainda assim. Disse "então e ninguém me avisa??", mas não obtive resposta. 
Vim para casa e deitei mãos à obra, pra gáudio do vizinho do r/c, que aqui há dias sofreu uma tentativa de assalto, com quem já me aborreci imenso por causa dos cães, e que se safou da 2ª tentativa de assalto, exactamente devido à minha cadela. Eram 3 da manhã e bicha desata-me num berreiro infernal. Levantei-me, segui-a, acendi as luzes todas da casa, levantei um estore, gritei "qué pasa?!", parece que isso assustou o sacana do meliante. Óbvio que eu não sabia que era um ladrão, o vizinho depois é que me disse que tinha de novo ouvido movimentações estranhas, coincidentes com o alarme canídeo. 
A tentativa anterior tinha sido notificada a todos via mail, onde se dava conta também de onde se supõe ser o local de acesso à malandragem, terminando a dizer que mais tarde se discutiria que medidas tomar. "Mais tarde". Bom, fiquei à espera de notícias, e nada. Ontem, depois de saber da minha nova função o tal vizinho comunicou-me qual o seu plano:

-Pretende pôr, lá no tal local que ele pensa ser o de acesso, umas sinetas, e precisava de saber a que horas eu passeio a minha cadela, de modo a que não tropece nas sinetas

Fiquei um bocadinho calada à espera de acordar, ou de mais. Do género lógico. Algo, sei lá, como uns fios eléctricos conectados às sinetas ou assim, de forma a que o eventual tilintar das mesmas, depois de acordar os grilos, desferisse um choque ao fdp do ladrão, que ele tivesse uns pássaros amestrados para a ocorrência, uns pirilampos, sei lá. Algo mais.  Mas não. Era só aquilo. SinetasBom. Ok. Está bem. Certo. Sim senhor. Ya. Sinetas é uma boa. Nem sei como é que a polícia ainda não divulgou nenhum comunicado nesse sentido. "Caros cidadãos, a PSP aconselha, veementemente, o uso de sinetas, estrategicamente colocadas pelas vossas propriedades fora, as quais vos darão um alerta do caraças em caso de trespasse indevido e mal intencionado, por parte de gatunos. CASO AS OUÇAM, favor contactar-nos imediatamente. Caso não, comprem um taco de baseball pra esse just in case, e contactem-nos na mesma, se tiverem tempo e oportunidade". Lá o deixei a colocar os fios prás putas das sinetas, sem o contrariar em nada nem perguntar nada, que a sério, ando cá muito desconfiada com o que andam a deitar na atmosfera. Disse-lhe somente que a adopção de um cão era capaz de lhes dar jeito, só naquela de reforçar aquele sistema de segurança, oferecendo os meus préstimos para qualquer eventualidade, a qualquer hora.

Hoje seguiu mail para a tal reunião urgente, onde vamos discutir os preços e locais a instalar aquelas perfeitas parvoíces, como alarmes, câmeras de vigilância, arames farpado, tasers, sei lá, tudo aquilo de que ele, o por duas vezes quase assaltado, de entre todos nós, não se lembrou, porque deve ter andado a ver a quanto é que estão os sinos, qual o som que cada um, ou a que dedo de que pé vai prender aquela cena toda.   

A minha vida é isto. E depois todos se admiram que uma pessoa seja uma mal disposta da treta. Agora ainda me falta resolver o porquê de os canteiros não estarem aparados em condições, saber a razão de o senhor das manutenções não ter ainda substituído a 3ª lâmpada a contar do 2º corredor do jardim do lado esquerdo, e pedir a toda a gente que feche as portas das garagens, porque, em caso de incêndio, parece que o seguro não paga o puxador da porta de um 3º andar, que possa derreter. Ninguém me pergunte como é que o seguro vai perceber que um hipotético fogo chegou até ao 3º andar, derivado das portas das garagens estarem só encostadas, que não sei. O que sei, é que, se for de eu chegar a Dezembro, chegaria muito melhor se tivesse fechado a matraca, ao invés de fazer perguntas estúpidas como "ó vizinho! quem é o administrador este ano?", só porque estou farta de ver ali um monte de folhas secas, tão sogaditas, acumuladas no cantinho do portão. 
Estavam ali dormir, carago! Eu não podia, simplesmente, ter pensado que estavam a dormir??


   

Sem comentários:

Enviar um comentário