9 de setembro de 2016

Eu cá acho que as grávidas não deviam andar na rua

Pelo menos a partir daquela altura em que se nota mesmo, mesmo - e vai-se notando cada vez mais - que ali houve de certezinha um acto de  - ai.. como dizer isto de forma a não ferir susceptibilidades muito elegantes ... - cópula, vá, e depois fica toda a gente a pensar que aquela linda mulher, toda airosa e resplandecente, de barrigota espetada ao Mundo, carregando nela outro Mundo, está, em paralelo, a dizer, também, que fodeu.

Opá. Porra! Quem é que quer cá saber dessas intimidades e despudores, né? E o bom senso? Onde caralho está o bom senso desse gravidame todo, carago?! Então mas agora vai uma pessoa muito bem na rua, láláláriláláló, toda muito séria, muito bem compostinha, cheia de valores, passo curto qué pra não abrir demasiado as pernas (fica mal),  quase a entrar na repartição das Finanças e dá de caras com uma dessas mulheres - lindas, todas airosas e resplandecentes, de barrigota espetada ao Mundo, carregando nela um outro Mundo - e tem que ficar com a imagem do implícito àquilo tudo, no seu imaginário, foda-se?! Praticamente o equivalente a uma Clarinha a ser largada pela Heidi ou Pedrinho, ribanceira abaixo, caraças, protesto! 

E calhando, ainda nos admiramos muito que haja tanto erro de cálculo no IRS de cada um.  



11 comentários:

  1. Não anónimo. Desculpe, mas não desço a determinados patamares.

    (são poucos, mas esse é um deles). Desculpe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahahahahahahahahahah!

      Foi pra ver qual a sensação. Um frenesim do caraças, sabes lá...

      Eliminar
    2. Quem não te conheça...

      E que tal é isso de ter bué comentários de anónimos maus?

      Eliminar
    3. Tenho uma porção deles à espera de morrer em moderação, e só me tinha esquecido da parte de lhes pedir desculpas.

      É bonito.

      É educadinho.

      Gostei muito.

      Eliminar
  2. Pensa assim: "Inseminação, inseminação, inseminação".
    (Mas não penses no método em si, senão voltamos ao mesmo.)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou pior!

      Imagine-se uma 'ssoa de perna aberta, numa marquesa, e um perfeito estranho a inserir coisas lá pra dentro..

      Horror, horror! :P

      Eliminar
    2. Faz parte de nosso charme...:))

      Eliminar