14 de junho de 2016

Disse a minha irmã um dia, a um colega de trabalho que era racista: " Se Deus existisse, tu amanhã acordavas preto"

Não acordou preto.
E continua-se a não se saber onde depositar o vómito derivativo do tanto nojo que se sente, por se partilhar do mesmo genoma que determinados seres.  
A boa notícia é que há menos 50 pedófilos no mundo, porque estes homossexuais são um bando de pervertidos nojentos e pedófilos.  Eram estas as vítimas, só um bando de homossexuais nojentos num bar gay, ok? Mas a más notícia é que isto agora vai ser usado, tenho a certeza, para puxarem o controle de armas, onde defendem que Americanos comuns não têm o direito a ter armas para defesa própria. E também, tenho a certeza, vai ser usado para repescarem o chamado "discurso-ódio".  Os crentes da Biblia, Cristãos, que pregam o que a Bíblia diz sobre a homossexualidade - que é vil, que é repugnante, que eles são "reprovados" - nós é que vamos ser culpados.  Como, "são todos extremistas! Não são só os Muçulmanos, são os Cristãos!" Tenho a certeza que isto vai acontecer, que as pessoas vão começar a atacar os Cristãos crentes na Bíblia, agora, por causa do que aquele tipo fez. 
Vou ser bastante claro; nunca defendi a violência. Nunca acreditei em fazer-se justiça pelas próprias mãos. Eu nunca iria disparar num (suposto) bar gay . Não acho certo sermos "justiceiros".... Mas digo-vos isto: a Biblia diz que os homossexuais devem ser mortos, em Leviticus 20:13.  Óbvio que não está certo alguém chegar lá e disparar, porque isso não obedece aos canais próprios. Estas pessoas deviam ter sido mortas, de qualquer das formas, mas deviam tê-lo sido pelos procedimentos correctos; por um  governo de direito que os julgasse, condenasse e  executasse.  Porque em Leviticus 20:13, a perfeita  lei de Deus, ele condena à morte os assassinos e também os homossexuais. Isto é o que diz a Biblia, pura e simplesmente.
Portanto, a boa notícia é que pelo menos 50 destes pedófilos não vão molestar mais crianças. A má notícia é que muitos dos homos que estavam naquele bar, ainda estão vivos, portanto vão continuar a molestar e recrutar pessoas  para o seu nojentos estilos de vida homossexuais. 
Não estou triste sobre isto. Não vou chorar por causa disto. Porque estas 50 pessoas num bar gay que foram baleadas, iam morrer de AIDS, sífilis, ou seja lá do que for. Iam todos morrer cedo, de qualquer modo, porque homossexuais têm uma expectativa de vida 20 anos mais curta que a das pessoas normais, ...



5 comentários:

  1. A estupidez é a maior praga do mundo e o pior é que não há vacina que nos valha... enfim... sabes que este tipo de discurso faz-me sempre lembrar aquele personagem homofóbico Coronel Frank Fitts do filme "Beleza Americana", que não passava de um homossexual reprimido!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tomei a liberdade de ir buscar um pedaço de um comentário de um amigo meu no face

      "Temos de parar de combater fações, grupos, países, religiões, partidos, cores e entender o verdadeiro motivo, o verdadeiro inimigo, esconda-se atrás do que se esconder:
      A estupidez.
      E lutar contra é precisamente impedir q se pegue. Nao odeiem o que quem fala diz representar. Antes vejam esse alguém como o que é: um estúpido que usa uma qualquer fação ou linha de pensamento como desculpa esfarrapada para se convencer de que não é apenas um estúpido qualquer."

      a propósito do facto de o abismo ser, supostamente, um representante Católico.

      De resto, ou por isso que dizes (e que também partilho), ou por outra razão, fico sempre estupefacta com estes relatos. Ainda, imagina tu.

      Eliminar
    2. É impossível ficarmos indiferentes a estes comentários, por mto que já saibamos o que a casa gasta.
      Temo que a estupidez humana se reproduza a uma velocidade estonteante.
      É tão triste haver quem pense assim. O que assusta-me perceber que há bem mais imbecis do que aqueles que pensamos... :(

      Eliminar
    3. Sobre os imbecis, apercebo-me dessa realidade praticamente todos os dias, meu bem. Nesse e noutros contextos, embora realmente, neste em particular, a coisa se torne muito mais preocupante.

      Eliminar