terça-feira, 17 de maio de 2016

Um idiota difama, um sábio fundamenta

É com enorme alegria que  comunico aos mete nojo do costume, que na minha vida não há telhados de vidro.  Não há rigorosamente nada na minha vida, antes e após a minha separação do excelso senhor Pai das minhas Filhas - já lá vão 5 anos - que o mesmo não saiba, e, sobretudo, elas não saibam.  Sobre o meu casamento, reservando-me o direito à privacidade do mesmo, reservo-me tenazmente o direito à privacidade do bom nome do meu ex (mas ainda) marido, realçando o que sempre fiz, quando ou sobre ele me referi, em locais, tanto público quanto privado: O imenso respeito e carinho que por ele nutro, e pelo apelido que usei durante tantos anos.  
Acontece que esse apelido foi ontem, por intermédio de Pink Poison, aqui e noutro blog, proposto - ainda que de uma forma bastante incorrecta, é certo, mas claramente em jeito de coacção - explicitamente dirigido à minha pessoa, na sua forma habitual, de piolhosa sem noção. Sendo minha convicção que mais esta tentativa de denegrir outrem sem olhar a meios, foi alicerçada por um ex-conhecido meu, cuja índole se assemelha de forma assustadora à dela em negritude,  certo é que os comentários foram feitos por ela, nas suas muito variadas vertentes de nicks, e é nesse  contexto que resolvi fazer este post, esclarecendo primeiramente,  que ele, o Pai das minhas Filhas e mais o seu bom nome, é uma pessoa. Eu, outra. 
Assim, pretender-se, talvez, que eu páre ao que reagi enquanto às suas acções passadas, recorrendo a um pretenso denegrir da minha imagem por intermédio do Pai das minhas Filhas, embandeirando "traição",  ultrapassa, a meu ver, toda as habituais manobras inerentes à pessoa que tenho afirmado ser escusa, com todas as provas por elas oferecidas de bandeja, passando agora a ser aquilo e mais uma qualquer  filha de ninguém, pois que estou em crer que não haver humano que não tivesse afogado aquela merda logo à nascença, de tão pegajosa que é. Passamos pois, nestes conformes e após o dia de ontem, a toda uma nova moldura de trâmites legais, na medida em que "calúnia" e "difamação" tomaram um contorno legalmente aproveitável e realmente punível. 
Quanto a mim, e em relação às muitas ameaças de queixas às mais variadas entidades representativas de lei que ela encontrou -ou na net, ou no seu percurso de vida - estou absolutamente à vontade, pois nada se encontra escrito neste blog, caixas de comentários,  ou outras redes sociais,referentes àquele nojo, que não encontre  a sua base no que ela expõe no seu, ou em alheios. São sítios público, à mercê da consulta de qualquer um, a  própria assunção da sua vida passada, está fundamentada na internet, à mercê do visionamento de qualquer um. De resto, é a minha opinião, que mantenho e corroboro cada vez mais. Não pretendo, note-se, justificar o desenrolar da novela,que isso já foi por demais explicado e debatido, resultando-se-me cagativo - com todo o respeito, não obstante - o que pensa o alheio sobre o assunto. 
Acontece é que pra mim, que sou isto tudo de besta, é-me assaz precioso o conceito de fidelidade, logo, por oposição e na mesma medida, ser-me-á o de traição. Acho-o verdadeiramente repugnante, seja lá em que vertente for de uma relação. Sobre mim, ninguém profere "traição" sem que tenha que o provar, ali, muito bem provadinho, nem que seja com a barriga encostada às barras de um tribunal. Ninguém. E quando digo ninguém, refiro-me mesmo a toda a população mundial. 
É um ninguém absoluto, portanto. 
Não reside o busílis desta questão, num eventual devassar da minha privacidade, pois que isso é só expectável por parte de quem se vê despido de argumentos, perante observações de terceiros em relação ao que a própria se auto-devassa, dia após dia. Logo, ser-me-à completamente indiferente uma hipotética inconfidência sobre a minha idade, que já referi em texto para o Desblogue d'Elite, ou a minha actividade profissional, que nunca referi, ou em que condições é que a pratico, que também nunca referi publicamente, ou até o meu actual estado civil e/ou com quantas pessoas me relacionei, se me relacionei, após o meu actual estado civil.
Sobre tudo o que foi exaustivamente comentado por Pink Poison, importa-me somente a parte que explicita traição. 

Importa-me. 
Exijo que a prove, e comunico que, aqui ou em tribunal, falo-á, não fosse eu filha de quem sou, não estivesse eu estado casada com quem estive. 

Provas. Quando. Com quem. Nomes. Lugares. O que for, que remeta um pentelho que seja, para "traição".



Isto, ou a retractação imediata da calúnia. 

E então, "A Poesia alimenta-me" (aka "Pink Poison", "just a guy", "Uma das maravilhas do mundo virtual sou eu", "Trejeito","eu"),  comé? 



   

35 comentários:

  1. Vou ´scar as pipocas.
    Pra ver as desculpas e mais tarde as ver apagadas. Ou cagadas, vai dar ao mesmo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só se me deres um jinho no joanete.

      Eliminar
    2. Fonix qué lá isso.
      Beijinhos no joanete, ca nója pá.

      Eliminar
    3. No céu da boca, não pode ser?? Ou na bexiga :)

      Eliminar
    4. Ainda pensei pedir no apêndice, mas dava muito trabalho...

      Eliminar
    5. Olha tu não sejas imbejosa e faz favor de partilhar as pipocas com a malta.

      Eliminar
    6. NÃO!!
      Só se me beijarem o fígado, os rins (tudo como novo, han?) e o baço.
      E é se querem!

      Eliminar
    7. Prontos pá.
      Caga lá nisso então.
      É que eu não sou uma pessoa lá muito dada a isso dos beijinhos.

      Eliminar
    8. Quê, não gostas de dar beijinhos no céu da boca tonicha?? Como assim?

      Eliminar
  2. Muito curiosmente, alguém pediu a redefinição da minha palavra pass no face, que não eu.

    ResponderEliminar
  3. Enquanto o pedido de desculpas vem e não vem, ou vem e depois vai, como de costume, quero dizer-te, não que o não saibas, mas porque me parece oportuno, dizendo o post respeito a quem diz (quem diria, respeito e aquela pessoa na mesma sequência de ideias?), que és incomparavelmente superior em carácter e integridade que essa escória (vide http://www.priberam.pt/dlpo/esc%C3%B3ria). Quem se move da forma e nos moldes que descreves não é mais do que isso.
    Cheguei a ter pena dela, do desequilíbrio em que vive, da inconstância, do rol de mentiras em que se embrulhou e a sufocou. Tive pena porque a formação académica que brada aos quatro ventos não lhe proporcionou um pingo de formação enquanto pessoa. Tive pena que ela precisasse de falar dos carros do pai para se valorizar. Tive pena que nao tivesse conseguido encontrar outra forma de sobrevivência senão a prostituiçao. Tive pena da solidão em que deve viver. Tive pena que nenhum amigo lhe tenha dado a mão a tempo de evitar que entrasse nesta espiral que julgo sem retorno. Tive pena genuína. Já não tenho. Não consigo ter qualquer espécie de compaixão por ela, pelas mentiras que escreve compulsivamente, pelo desrespeito que mostra por si mesma e por terceiros, por tudo quanto diz e faz, só um asco profundo.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Mirone.
      Pra se ser "gente" bastam 5 letrinhas apenas, mas depois há quem só saiba contar até 4. E mal.

      Beijo.:)

      Eliminar
  4. E pumbas o post dos telhados de vidro desapareceu.
    Uma 'ssoa assim não consegue trabalhar pá, que com este escreve apaga às tantas não se percebe o fim à meada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A gaja tem a mania que é a Houdini da blogosfera! Mas tem mais queda para a palhaçada, só ainda ninguém lho disse!

      Eliminar
    2. Houdini? Isso é ofensa para o senhor, que até desce estar às voltas na tumba.
      É mesmo falta de carácter, de integridade, de honradez, probidade, incapacidade de responder pelos próprios actos, de assumir o que faz.

      Eliminar
    3. Mirone, isso já nós estamos todas carecas de saber!

      Eliminar
    4. Eu voto na bipolaridade, ou então multipersonalidade. Isso, multipersonalidade.

      Eliminar
    5. E todas da merda. É impressionante que entre tantas, nem uma se aproveite, carago.

      Já fui, já voltei, e nada de assumir o que escarrapachou aqui ontem. Lá está ela, no seu sítio encaniçado e mais ao seu texto fajuto, a fingir-se de cega surda e muda. Ela e o Eduardo anónimo, que sofre por, e com ela. Tadinho.

      Eliminar
    6. Muito sinceramente, Isa, não acredito que peça desculpa ou se retracte. Aquilo que ela costuma fazer no blog, e depois apaga, não se encaixa nessas categorias. Eventualmente vai escrever-te um mail cheio de mentiras (comigo foi assim) a fazer-se de vítima, para ver se tu tens pena dela e relevas, mas, invariavelmente, vai acabar a disparar em todas as direcções, maioritariamente na direcção do próprio pé, e a dar o dito por não dito.

      Eliminar
    7. Mails? Era só o que faltava. Nem isso em aqueles pedidos de desculpas públicos e mentirosos, como também já o fez comigo, de costas quentes e sugestionada pelo estafermo que suspeito lhe deve ter fornecido estas informações doentes e distorcidas - à imagem dele próprio - sob a perspectiva de uma nova aventura cibernética com uma gaja que mostra partes do corpo e faz ir à casa de banho muitas vezes durante o dia. Na na. Não quero cá mails, nem pedidos de desculpas. Quero um sim ou um não, e que a opção que tomar, seja devidamente sustentada.

      Eliminar
    8. Não vai pedir desculpa. O último post é reflexo disso mesmo. Mantém a posição de vítima. Alguém lhe diga )ela não publica nem lê os meus comentários) que o curso ou as fotos (que fazem "save as"?????) são o menor dos seus problemas, aliás, não são sequer problema. Que é tudo o resto, o que diz, o que faz, as mentiras que inventa, a falta de humildade, a soberba com que se julga infalível e perfeita (pois que não aceita qualquer crítica), o não olhar a meios (rasteiros) para atingir fins (absolutamente desprezíveis) que a caracterizam enquanto ser desprovido de ética. Caramba, para quem se sente tão confortável com as próprias escolhas, justifica-se muito. E justifica-se a quem não deve. Suponho que se seja apenas para se convencer a si mesma.
      O preconceito maior, aquele que acusa os outros de terem, existe na sua cabeça, preconceito porque parte do princípio que mundo conspira contra si só porque tem uma opinião diferente da sua, preconceito porque pré-concebeu em relação a ideia de uma mulher perfeita, indefectível... E não podia estar mais distante da realidade.

      Eliminar
    9. A pessoa sofre de um enorme preconceito em relação à humanidade toda: somos todos terríveis e deviamos era aprender com ela, que erra, mas erra como deve de ser, entre outras patacoadas que dali transpiram. E que fotos? Que raio de cena tem ela com a treta das fotos? E porque alguém disse que lhe copiou as putas das fotos, até que as veja expostas em algum lugar, desde quando isso é argumento de jeito, pela santíssima trindade?!
      É o costume. Portanto: se eu disser aqui que tenho um jaguar e não tenho carta de condução, se gozarem comigo, eu apresso-me a mostrar o automóvel e o motorista, pra provar coisas porque tenho necessidade disso. Se continuarem, eu vou ali difamar um dele, e depois digo que olha azarito, sou um furacão (também já tem esta tecla gasta, Jesus meu pai quem é que atura aquilo), também gozaste comigo e agora pimbas. Porque é exactamente a mesma coisa. Burra do caralho, que está com o tal furacão mesmo à frente das trombas e nem percebe que caminha prá tempestade. Dasse!

      Nem vou perder mais tempo com isto, Mirone. Já falei com quem tinha que falar, farei o que tenho a fazer e continua-se com a vida, até que alguém lhe diagnostique o síndrome de borderline e a medique. Até lá, a diversão continua, e mais tarde logo se vê no que isto deu, ou se lhe valeu de alguma coisa andar ali à cabeçada no almofadado da sua igborância.

      Eliminar
  5. Hum... Não temos novidades ainda. Isto é coisa para demorar mais que parto.
    Hum....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sai nada dali. Desiste. O medo é uma cena fodida, pá.

      As minhas filhas leram este post e ao que me refiro. Como se calcula, o ex está a par do sucedido, maneiras que por mim, está-se perfeitamente bem.
      Vamos lá a ver se a pútedra e mais as suas fontes, se sentirão confortáveis em tempos vindouros.

      Eliminar
    2. Não creio , não creio ISA.
      Não devias ter de o mostrar às tuas filhas (compreendo que o tenhas feito), mas não devias.
      Essa bacana é uma varrasca de primeira, não mede os meios para atingir os fins e com certeza não entende muito bem as implicações dos seus actos.

      Eliminar
    3. :))

      Tónicha, este blog, como tudo na minha vida, é do conhecimento das minhas crias. Tudo o que implique o Pai delas, e que venha por intermédio da minha pessoa, acho sempre por bem pô-las ao corrente. De resto, elas sabem que existe daquilo no mundo, não se apoquentaram com o que leram.

      Uma data de gente que não entende as implicações dos seus actos. Esta é só uma tontinha desejosa por ripostar a tudo o que lhe dizem, apanhada nas malhas do despeito de outrem. Mas os comentários são dela, logo ela é que terá que responder por eles, como é óbvio.

      Eliminar
    4. :))

      Tónicha, este blog, como tudo na minha vida, é do conhecimento das minhas crias. Tudo o que implique o Pai delas, e que venha por intermédio da minha pessoa, acho sempre por bem pô-las ao corrente. De resto, elas sabem que existe daquilo no mundo, não se apoquentaram com o que leram.

      Uma data de gente que não entende as implicações dos seus actos. Esta é só uma tontinha desejosa por ripostar a tudo o que lhe dizem, apanhada nas malhas do despeito de outrem. Mas os comentários são dela, logo ela é que terá que responder por eles, como é óbvio.

      Eliminar