quinta-feira, 19 de maio de 2016

Literatura underground (quase ali a tocar o núcleo interno sólido da Terra)

O olhar?


Do teu olho azul alcanço a tristeza do palco da minha vida.
Há terra na sola do meu sapato. Há barreiras entre a marginal e uma colher de pau. Quem sou eu?
Recuso-me a dizer que sim, a esta sociedade promíscua. Sou azeite. Escorrego por entre as garras do preconceito. Se dentro de mim há vida, há valor, há sonho, vou por onde eu quero? Nunca serei como eles. Há água que são lágrimas no tablier. Há a lua. Há o sol. E o esófago da lama. O mundo é assimétrico.
Vem a mim. Dou-te o meu ombro seguro, o meu porto, o meu aval. 
Estrelas. Bagaço. Sento-me.
Canta a minha canção.
Será?
Trazem-te a piza a casa?
Pois.

É a estratosfera e as similaridades do ser. Serei? Sou. 

Tenho um olho verde... 

O crepúsculo é além. E chora.

(Texto inspirado nas obras da dramaturga catalã Munika Izabella P. Vilva. Proibida a partilha daqui até à Lua).




24 comentários:

  1. Ahahahahahahahahahah :D
    E os crepes, pá?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Calma que mamãe já vai!

      Estão de molho.

      Eliminar
    2. Molho?! Se não te importas, para mim são com Nutella, obrigada :))))

      Eliminar
    3. Nu?

      Não, Caty mai linda. Hoje não posso. Tenho as persianas encalhadas.

      Eliminar
    4. Ó pá... porra :(((
      Então, vai-te deitar!

      Eliminar
    5. Ai era suposto ter-me levantado..?!

      Ninguém me avisou...:(

      Odeio este Mundo! As pessoas são más! *snif*

      Eliminar
  2. Quando calha a pizza a chegar fria, vai-se a puta da poesia toda.
    O-deio.

    Parabéns, Isabel. Espero que desta vez o teu blog encontre a linha editorial que tanto procuras mas que teima em fugir-te pró esgoto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A procura faz parte do crescimento de um ser, mesmo que doa, que sangre, que rasgue.

      Obrigada pelo teu comentário, querida amiga. Bejinhos.

      Eliminar
  3. Ó pá, amo.
    Adorava escrever coisas assim, que só eu entenderia.
    Palminhas e kudos! :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É a minha essência, Linda Blue...

      Sou um ser encriptado. E a culpa é deles, que me querem tirar o palco.

      Eliminar
  4. Que lindo!

    A Munika é daquelas escritoras que abanam a árvore orgulhosas*. Há poucas escritoras que arranquem as palavras de tão fundo como ela.




    (*e de todas as vezes que o fazem acabam a chorar porque levaram com pinhas na cabeça quanto nada fizeram para o merecer. Às vezes aproveita para dizer que dói e sangra, são sempre tão belos esses textos. Depois, para curar o sangue e a dor nada melhor que uma cataplasma de azeite em forma de palavras que se juntam aleatoriamente. Untadas e lambidas as feridas, qual fénix renascida, faz-se novamente ao pinhal, uma vez,e outra e mais outra, sempre a sacudir árvores. Isto é poesia no seu estado mais puro!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que gostas Mirone.

      Vivo praticamente num pinhal, tenho práqui pinhas a dar cum pau, maneiras que.

      Também adoro a Munika. Acho é que as obras dela se perdem um bocado na tradução...

      Eliminar
    2. O Catalão é uma língua tramada. Uma pessoa pensa que aquilo não sendo castelhano dá para tirar umas pelas outras, mas engana-se, mesmo quem fala fluentemente sente as angústias dessa perda a que te referes, agora imagina quem vai à confiança a pensar que é como o galego.

      Eliminar
    3. Vi-me grega pra perceber o verdadeiro âmago da sua mensagem, sabes lá. (E olha que eu até adoro a Grécia Antiga,hã?)

      Mas depois, fez-se-me um cavalo de Tróia, adentrei pela coisa, e lá consegui.

      Eliminar
  5. ah-ahhh-aaah-a-ha-h
    Estou baralhada, só isso! (Ou será em-baralhada??!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o que quiseres, Be, desde que queiras.

      Baralha e reparte de novo, que vais ver que daqui a nada já atinas ca coisa.

      Eliminar
    2. Tive de ir ver, estava curiosa com essa merda das persianas e já não estava a apanhar nada porque evito ir ao antro para não apanhar doenças, há merdas que se transmitem assim pelo ar do PC, digo-te eu que sou licenciada em 3 medicinas alternativas.
      Tenho que dizer uma asneira (posso?) Foda-se, como é que é possível tanta intelijumência numa pessoa só?!!!!!!!!!!!!!!

      Eliminar
    3. Se podes??

      Ó melher, se há coisa que aqui se pode fazer à vontadinha, é asneirar à vontadex.

      Eliminar
    4. Intelijumência é muito bom Be!!! :)
      Eu ainda não estou em min é com as imagens pá. Quem me mandou a mim ir chafurdar...

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Tenho que descansar o cérebro pra m'inspirar de novo, qu'isto é muito à frente pra uma pessoa simples, assim como
      yo.
      Calma.

      Eliminar