sábado, 2 de abril de 2016

O problema dos homens:

Existem. 




23 comentários:

  1. Ai, foda-se, já não aguento com essa merda desse tema, o problema dos homens, o problema das mulheres, SOCORRO, o meu tédio está exausto!!
    Para quando um "o problema das pessoas"??

    ResponderEliminar
  2. TENHO CULPA QUE ESSES GAJOS ESTEJAM A ABARROTAR DE PROBLEMAS EXISTENCIAIS, CARAGO!?


    Atão, o problema das pessoas é este mesmo! Não se entendem nem a elas próprias, quanto mais umas às outras!
    Né?!

    Não é óbvio?!

    Fogo...

    ResponderEliminar
  3. Plágio, caramba. Plágio puro e duro. Plágio horrendo, coisa para me deixar com uma apoplexia. Que é isto, pah?
    Vou fazer queixa à gorda, agora é que vocês vão ver! Tenham medo, tenham muito medo.

    http://pipocamaispicante.blogspot.pt/2014/01/os-problemas-dos-homens-34.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

      Foste apanhada, Isa.

      Pic, faz print screen antes que a gaja apague!


      (quem é a gorda?...)

      Eliminar
    2. Epá, isto hoje em dia é só gordas, sei lá eu de quem está a falar.
      Por aquilo que me diz respeito, até te podias estar a referir a ti própria, né?

      Eliminar
    3. Não, não é. Eu sou linda e magra. OuvisteS? Magérrima.
      (vou dizer à da passadeira, pronto, agora é que a Isabel Barbosa vai ver como elas doem)

      Eliminar
    4. (melhor esquecer isso da hipopótama, a da passadeira é que é)

      Eliminar
    5. Ahhhhhhhhhhh!!!!

      Já podias ter dito, pá.

      Aqui a perder tempo com suposições.
      Sou comás putas, pá: tempo é dinheiro.

      Isa, já foste, pá.

      Pic, aventa-lhe um processo nas trombas.

      Eliminar
    6. Vou já telefonar para um amigo que tenho na pê jota. Isto não fica assim!

      Eliminar
    7. Momo burra.
      Tão nãos sabes que primeiro tem que passar pela gnr ou psp???

      Eliminar
    8. gê ene erre? Ora essa! Eu não sou da parvónia está bem? Aqui em Lisboa vamos logo à pê jota, quando vemos bloggers aos saltinhos, a cometer crimes seríssimos.

      Eliminar
    9. Mas isso é em Lisboa.

      Pergunto-me: como será na venda do pinheiro?

      Eliminar
    10. Venda do Pinheiro? Por amor da Santa, Filipa!
      (em tempos tive uma depiladora que morava aí, tinha a mania que era benzoca e era mas é uma vigarista do pior, levou-me uma fortuna com a porra da depilação eléctrica que era mesmo uma grande porra. Mas desde que comecei a ler a maçã sou outra pessoa...)

      Eliminar
    11. (eu também. Desde que a comecei a ler, fiquei outra!
      dasse, parecemos umas ilhas)

      Eliminar
    12. "Ler" a maçã?!
      Mas vocês são o quê, mágicas??


      Picante, não plagiei nada. Há séculos que aquelas palavras são usadas pelo mulherio, pelo menos 1 vez ao dia. Tá bem?
      E já estou fartinha de ser ameaçada com a PJ, caramba, quando é que esses tipos, afinal das contas, aparecem??

      Não percebi a coisa da Venda do Pinheiro ... querem explanar?

      Eliminar
    13. O que há para perceber?

      Na venda do pinheiro antes de se ir à PJ tens de passar pela gr ou psp.
      Não perguntes porquê, coisas lá deles.

      Eliminar
    14. Olhe Isa, eu acho que o mínimo era espetar aí em cima, naquelas letras garrafais em que as Rosinhas assinalam a publicidade "despudoradamente surripiado à linda e magra Mais Picante".
      Mas a Isa é que sabe...

      Eliminar
    15. Picante, minha querida. Lamento, mas não vai ser possível. Primeiros porque magra e linda há só uma, a Isa e mai nenhuma, e segundos porque quero mesmo conhecer o Joka ( quase tanto quanto quero conhecer o Pipoco, está quaaaaaaaase ela por ela), que eu cá sou moçoila com um fetiche valente por autoridades e tanto faz em quê, não me interessa em que lei. Se na propriamente dita, se na dos tiros a melros, se na dos cagões e/ou etc, gosto. Também gosto do Algarve, de ovos mexidos. E de combinar coisas com gente do face. Nao têm que ser financeiramente abastados ou isso assim, basta-me que sejam asseadinhos.

      Sim. Sou este mundo de simplicidade, eu.

      Eliminar
    16. Asseados e que falem um português claro e correcto, Isabel. Há que pedir dos outros o que falta em nós e nos complete, não é assim?

      Eliminar
    17. Pá, na minha perspectiva e na de qualquer ser intelectualmente desalinhado, sim!
      Complicar para quê, se o que precisamos dos outros é simplesmente um sovaco cheirosinho e uma cueca lavada? Hã? E português claro e correcto, no sentido de "sim" ou "não" ao atrás referido. Pronto. Já está.

      Mais fácil que isto não há, e isto é só um reflexo de mim. Sendo que eu sou o que tu quiseres, mas quando eu quiser, em eu o querendo e tu também, olha, eramos dois a querer, e é coisa pra se resolver em um par de minutos.

      Leva é trocado, sff.

      Eliminar
  4. O problema dos homens, ainda me lembro de quando era catraio e dizia aos meus amigos, "pá, se eu fosse gaja, era não sei quantas quecas por dia, aviava gajo atrás de gajo". Agora que já não sou catraio há muito, mudei de opinião, ja não seria bem assim, mas o meu problema mantém-se.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Junkie, pelo teu contributo.
      E por confirmares o meu post.

      Eliminar