7 de março de 2016

E amanhã é dia da Mulher. Ó que bom.

Lá vêm os discursos floridos sobre as curvas, o charme, o valor, a importância, as maravilhas das várias fases da vida desde a idade do penico até à da bengala e o magnetismo subjacente ao sorriso em todas elas, a florzinha à entrada nas grandes superfícies, as fotos das amigas a celebrarem-se, e depois regressa tudo às suas vidas e aos seus afazeres diários, onde volta e meia lançarão um  olhar à pobre da flor, esquecida, lá na jarrinha da sala ou no assento do carro, que murcha e murcha, assim como elas. 
Ainda não percebi porque raio não há um dia do Homem a ser celebrado desta maneira.  Tenho pra mim que a humanidade anda a ver isto tudo ao contrário, e que se é pra andarmos aí com cenas merdosas de jantarinhos e o caralho, podia-se muito bem inverter o género celebrado com coisas muito mais giras, tais como ofertas à entrada das grandes superfícies, de uma mão cheia de tomates. Por exemplo. Muito mais útil e significativo, na medida em que eles os teriam que enfiar em algum sítio, nem que fosse simplesmente na salada a acompanhar o jantar. 

(Ainda mando esta porcaria prá ONU ou assim, que tenho a certezinha que ninguém nunca se lembrou de aplicar, neste assunto, a coisa da psicologia invertida. Uma pessoa aqui aos Nobéis, e nada). 

   

4 comentários:

  1. deixa-me cá ver, também não gostas que haja o dia da mulher. Tu também tás sempre contra tudo, nunca vi tal. Aparentemente só gostas daquela esfregona que tens lá por casa, a sheila, não é? Por outro lado concordo contigo, porque não haver também dia do homem? Eu por acaso sei porquê, dia do homem é sempre que o homem vai ao pito.
    Eu até concordo com a celebração do dia da mulher, porque de facto a mulher no seu papel de mãe merece-o.

    ResponderEliminar
  2. Que Sheila, pá? LEILA. A minha bicha mai linda e meiga e tudo e tudo, chama-se Leila.
    Haviam de te levar comigo pra discursarmos ambos os dois lá na ONU, que pelo menos metade
    dos problemas ora existentes, pereceriam.

    Aproveitando que trocamos ideias de tão badalado assunto conta-me cá:
    -porque caralho uma mulher tem que ser logo associada ao seu eventual papel de mãe?
    -tens noção da quantidade de gajas que nem pra parir um escaravelho serviriam, de tão beras que são?

    Isto tudo pra dizer que o que se celebra, é o dia da Mulher. O da Mãe é uma beca mais tarde.

    ResponderEliminar
  3. Então deve ser por causa da igualdade de direitos, ok, tomem lá a igualdade de direitos, ou também há o dia da igualdade de direitos para as mulheres? Confesso que me veio logo à cabeça o papel de mãe, e isso já vem da minha admiração pelas mães, sendo que aqui se trata de mulheres, além do papel de mãe também as admiro como parceiro sexual, aliás, nem quero outra coisa, até já baptizei a minha mão direita de Lara Croft, e amanhã dou-lhe uma flor.

    ResponderEliminar
  4. Sugiro um cacto.

    Agora vou-me embora que não estou pra te aturar.

    ResponderEliminar