quarta-feira, 30 de março de 2016

Ainda sobre o ensaio





Hã ..? Olarilólé.

Só não vai esta foto mesmo, 1º porque não sou eu (se bem que adorá-se), 2º porque não quero cá filingues magoados a dizerem que sou uma copiona, e 3º porque não sei - não querendo ser injusta com os outros concorrentes - se estarão eles preparados para competições assim à séria. Exausta que estou de estar sempre assim a pensar em tudo e todos, mas sou assim, o que hei-de fazer para além do óbvio, que será meter-me num ginásio e atacar (salve seja)aquele maquiname todo, que aliás e de resto, nem está ali pra outra coisa, o que até proporciona uma troca de serviços bastante equilibrada:- Eu dou-te com força, tu dás-me a dobrar. Pronto. Não há cá maionese por um desodorizante, ou uma xaputa com 15 dias de frigorífico por uma chanata de enfiar o dedo, que sequer se iguale a esta cena.

Posto isto e já que aqui vim, aproveito para  publicamente expressar uma ansiedade que em mim trago há que tempos, e que me aperta a alma qual jibóia constritora filha d'uma mãe:
- Será que se eu escrever aqui umas baboseiras alusivas a osmoses, entrelaçares anatómicos ou faltas de ar derivadas do impacto tirano que um simples suspiro de meu amor desperta em mim, se eu aqui lavrar sobre a dimensão do hoje, que nunca é a mesma que a do amanhã, por causa dele, se eu desdobrar o guardanapo sobre sempre a mesma merda, se o meu eu, periclitante por tanto sentir, se soltasse, aqui, em clamores de desejo, tesão e fervores, e num devaneio, num repente, numa louca, fizesse aqui um cantinho para fãs, será qu'ele havia quem me fanzasse...?      


Ahhh, perquirires do demo!

Ó! Indagar atroz ... 

Que ou me deixas em claro as noites

Ou a elas me rendo, qual bêbado albatroz 

(Tal qual como em minhas teses
 Que fediam, que nem fezes..)

E agora vou ali ... trocar uns comes e bebes.


Mais ou menos dentro desta linha poética. 


Hum?

Aguardo feedback. 
(Não esquecer que sou o que quiserdes que eu seja,  bastando que para tal o Jung também queira, e sempre, naturalmente, depois de perguntar ao Froid se ele alinha).

12 comentários:

  1. Calma que inda não abri, estou só a abordar as 'ssoas.

    Havias de fazer um pra ti, estou certa de terás mui amor a receber. Segura,mesmo. Certa e segura.

    Ora pensa lá nisso.

    ResponderEliminar
  2. "ainda não abri, estou só a abordar as pessoas"???

    Onde está a tua classe, ó I. Barbosa??

    ResponderEliminar

  3. Onde tem que estar, ora essa.

    MARKETING, amôri. Tu aprende que uma gaja não vive pra sempre.

    ResponderEliminar
  4. Que cu nojento, credo.

    já se te acabou o kg do melhor creme do mundo?

    ResponderEliminar
  5. Desculpa lá mas também não sei se podes ir a concurso com isso, é que não podes andar por aí a gamar fotos daqueles barracas "tipo blog", hoje fui ao engano a um sítio desses e vi lá uma foto que se não era essa mesma que botaste aí, era um bo-cado pior. Além disso, já se viu que um cu desses até os pei-dos incomoda e o objectivo era fotografar coisas que não incomodassem outras coisas.
    E macacos pá, não podes fotografar macacos? eu empresto-te os meus!! São sossegaditos, vão à rua de trela e tudo.

    ResponderEliminar

  6. Querias tu ter um rabiosque daqueles, sua grande invejosa.

    Não acabou, mas estou em contenção, por motivos vários. Como se pode ver, não preciso de reafirmar nada, estou ali dura e tonificada, por menos de metade do preço que levam os teus cremes a sequer começarem a pensar no assunto. Também estou em contenção por causa que a minha amiga dO cartão, foi a Badajoz aos rabuçados e nunca mais volta.

    Porquê que me persegues, Filipa?

    Porque não consegues ser uma pessoa infinitamente natural?

    Porque queres que eu seja o que tu queres, se de momento e assim a meio de uma bica, não me apetece sê-lo, Filipa..?

    ResponderEliminar
  7. Ai Be, espera aí que só agora e vi!

    (Rimei, carago ... passo a vida nisto, havia d'andar era a vender aquelas cenas do jogo, que agora não ma lembra o nome)


    Bom, primeires e pra já, eu cá exijo respeito, ó cambada de gajedo venenoso. Uma Princesa não dá puns, ela murmura em direcções reais. É isso mesmo: direcçoes reais, leram bem.

    Depois, disse no texto que a...quilo não me pertence, embora eu gosta-se muito.Isto é um ensaio, ENSAIO, significa testar as coisas.

    Ó Be, os teus macaquitos são daqueles que a gente pode vestir, pentear e calçar, que pra eles tá-se e tal? Em calhando ainda aproveito a tua generosa oferta. As minhas iguanas não querem, dizem que a exposição ao flash lhes faz mal à pele. Imagine-se. Como se fosse todos os dias que lhe oferecessem uma sesão fotográfica. Mesmo estúpidas. Saem ao Pai, claro.

    ResponderEliminar
  8. Eu acho que as miúdas ficaram assim um bocado desnatural desde que tentaste mandar o pai delas que estava numa cadeira de rodas, ribanceira abaixo.

    Acho.

    Mas também pode ser porque não leram Jovan musk oil.

    ResponderEliminar

  9. Havia era de ter oleado aquelas rodas, pá...
    Não foi ribanceira abaixo, foi uma rampa. Uma coisinha de nada.
    Um gajo que parte um pé e tem uma santa como eu a assisti-lo todo o fdp de todo o dia durante 2 meses - leva pra cá, leva pra lá, tira cadeira, põe cadeira, põe canadianas, leva canadianas, compra canadianas, procura canadianas, faz de canadianas - deveria ter uma noção muito clara que quando e onde lhe pode encher a marmita com conversas da treta.

    Havias de ver a cara dele, quando percebeu que eu o tinha deixado à mercê da vontade do Senhor, e o grito ISABEEEEEEEeeeeeeeeeeeeeelllllllll....

    A pessoa que ia ao meu lado, caiu - literalmente - no chão, de tanto rir.


    As minhas filhas leram a parte do after shave, que é uma leitura muito mais apropriada a meninas decentes e para a idade delas, tu pensas o quê!

    ResponderEliminar
  10. Não era after shave, era colónia.
    E um extraordinario psiquiatra, também.

    ResponderEliminar