22 de fevereiro de 2016

Poesia & o meu background literário

Capítulo I - Auspicioso encontro

Vi-te. Não sei quê dos teus olhos. Vis-te-me. Olha-mo-nos. Sorris-te. Fomos um, eu em ti, tu em mim. Escreve-mo-nos em suspiros. Reescreve-mo-nos. Reedita-mo-nos. Ao conhecer-mo-nos, mais e mais. Fiz-te o almoço.O jantar. O pequeno-almoço e o lanche. Não necessariamente por esta ordem. Já não me lembro, por causa que entretanto acho que te vies-te. Ou fos-te. Sei lá. Vis-te em mim o que até então era um breu, para todos. Desculpa teres cegado. Amassei-te. Abracei-te. Ali para os lados de Exposende, onde dissera-mos olá..  há coisa de duas horas atrás. Choras-te na despedida. Tinhas pressa. Rasguei-te uma manga. Queria disfrutar mais de ti, saber quem és, qual o teu primeiro nome, mas estavas com pressa de partir... E fos-te. 
Que pena que foi, não é?

Por Isabel Barbosa

Nota: O texto é meu. Não permito qualquer tipo de partilha.








16 comentários:

  1. Estás aqui estás a ser convidada para o não sei quê da são.
    Prepara-te para o estrelato.

    ResponderEliminar
  2. Está pungente, pois tá? :D

    Obrigada, Filipa.

    Beijo (te).



    *belhéque*

    ResponderEliminar
  3. Ohhhh .. claro! Where else?

    Não sejas malandreca, hum?
    Que eu ainda posso gostar.
    :P

    ResponderEliminar
  4. Esta merda começa a raiar o bullyng.

    Ainda vou ter que entrar em campo em defesa da pinkonete, que eu não consigo ver os mais fracos pisados pela covardia dos fortes em grupo.

    ResponderEliminar
  5. Mais "fracos"?

    Mais "fortes"?

    "Bullyng"?

    "Pikonete"?

    "Fortes EM GRUPO"?

    "covardia"?

    Não sei do que falas, méne.
    Estou aqui neste canto praticamente sozinha, não vejo grupo nenhum, nem sei porque trazes para aqui o nome de terceiros.
    Mas hey, entra lá em defesa de quem achares que deves, né?
    Mas sem ameaças, pá, carinõ. Tu entra e pronto.

    ResponderEliminar
  6. Não sei porque é que deixas entrar qualquer merda no teu blog mas pronto.

    ResponderEliminar
  7. Grata, Be ;)
    Beijinho na alma.

    Exis-to pra agradar, escre-vo só pra porque sim. Disfrutem!:D

    ResponderEliminar
  8. Não te sintas ameaçada com as minhas ameaças, que isto é lúdico, e na primeira ocasião que eu perceba que não estou a ter bué de piada, eu próprio mudarei de estilo.

    ResponderEliminar
  9. Imagine-se...

    Percebi que estavas na brinca, quando não disseste "grupos de pressão". ~
    Logo ali.
    Cabum!
    Olé.
    Ápois!

    (Porque sou muito esperta, como não me canso de referir).

    ResponderEliminar
  10. Por acaso até és bastante esperta, e engraçada, um talento desperdiçado por aqui, imagina o sucesso que serias como animadora de uma plantação de batatas.

    ResponderEliminar
  11. Já me esquecia, olha lá, de repente fez-se-me luz, tu e a Pepita, coiso, e percebi assim de repente pá, sou memo tapadinho, LOL.

    E agrada-me a ideia pá, sério, queres ver que ainda vou realizar um sonho de adolescência? Bom, não seria bem assim, que na altura não sonhava com velhas fufas.

    ResponderEliminar

  12. 'Tás com essa conversa a ver se me convences, prequê.. vais-te reformar, ou ofereceram-te mais pra espanta-espíritos?

    ResponderEliminar
  13. Ai caraças, não podes comentar tudo de uma vez só, caramelo??

    O meu comentário anterior era prá merda que debitaste primeiramente, agora é que é prá flatulência que aqui deixaste por último:

    - Viste a Luz? É natural, uma vez que passas a vida em túneis de parvoíce. Olha, vai andando, andando, andando.. isso, mais uma beca ... vá... mais cadinho ... sem medo ... não olha pra baixo, caquilo é só o mar .. vá, continua... chauuuuu ... beijiiiiiinhoooooooooooooooo....

    ResponderEliminar

  14. Pipa, só vi o teu comentário agora. E como podes ler pelo meu anterior, é para deixar que caiam sozinhos.

    ResponderEliminar