terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Bem quero escrever sobre outras coisas, mas outros desvalores se levantam

E  esta merda dos links é fodida. Uma pessoa é notificada de cenas, e depois tem que manchar seu próprio blog com nódoas em modo copy paste, e  então é assim:

Vai passar do virtual para o MP

Eu não gosto de um blog nem da personagem da dona desse blog.  Disse-lhe uma barbaridade, oh se disse, ela retribuiu, sempre que pode.
O que acontece é o seguinte ela tem um grupo de 3 ou 4 "pessoas" que lhe alimentam em diálogos cheios de nada a caixa de comentários, e eu prefiro tê-los em pouquíssimo número, pois o meu blog é para mim , mas isso são outros temas.
Pois bem, esta "senhora" ,  fez o seguinte:
  1. diz que estou no Júlio de Matos, quando este já fechou
  2. vem todos os dias , várias vezes ao meu blog, para depois fazer longos testamentos na caixa de comentários da "pessoa" da qual eu não gosto
  3. Persegue-me nos blogs que comento e aproveita-se desses comentários para visitar sites que recomendo, ultimamente recomendei um site de trocas e a ISA BARBOSA já está a gozar com o que tenho exposto lá para trocar, artigos meus...
  4. Pediu-me amizade no Facebook
  5. Pus dois gifs do tumblr e ela criticou na sua caixa de comentários

  6. Chama-me vários nomes, diz que eu persigo a amiga, que não passo sem a amiga, mas ela é que não passa sem mim, contactei o meu advogado e farei o possível para que isto se torne uma queixa crime.

7. A amiga, parece que tentaram entrar na conta dela, não fui eu, se me acusar leva com um processo de falsas acusações, isto serve também para a Mirone, Palmier Encobeto e outras que tais.
Não sou superior, supero-me.


1- Fechou nada!

2 - Mentira. Recebo tudo por mail, através de amigas minhas - digamos assim- mas se fosse, ia, e seria simplesmente mau gosto de minha parte. Olha, hoje fui ... filhos da puta dos links.

3 - Jasus! Mas se nem o meu ex eu persigo, caralho. 
 De novo: Amigas minhas. É que eu tenho um mail - como não me canso de referir - e amigas, que gostam de me saber bem disposta.
("Gozar"?? Foda-se! Mas atão se gostei tanto daquela daquela bujiganga toda.. Ora que francamente ...)

4 - In your fucking dreams, Calimera. Never happened, never will. Mas como isto vai para o MP, vais ter que provar, né? Poisé.
De qualquer forma, fica o esclarecimento: O meu apelido não é Barbosa. Não peço amizade a ninguém no facebook. Esta acusação é deveras grave, uma vez que sugere um tipo de comportamento sinuoso que não é a minha praia, mas decerto haverá um bom sustento jurídico que te impeça de dares com os burros na água. Logo se vê.

5 - Aulas de interpretação, e ida rápida ao médico à conta dessa mania de perseguição. Chop chop!  
(Ainda andavas tu em cojones de tu Padre - blogosfericamente falando, por supuesto - já eu conhecia os tumbrls. Tumbrl não  é sinónimo de Gif, alma. E vai é masé à merda. Imagine-se se me inspiro em ti para falar sobre o que for. Tu trata-te pá).

6 - Meia-verdade. Não passas sem ela. E sem mim, como se pode verificar (sorte cadela a minha), e comprovar pela verborreia supra esparramada, em fundo preto. Nunca poderias caluniar tanto, se não tivesses as bases distorcidas do costume, para tal. 
Sobre os nomes que te chamo, pá, seria um hipotético quid pro quo, em que ficarias sempre a ganhar. Crê-me. De resto, esforça-te bastante. Vais precisar. Caso consigas, espero que tenhas a conta bancária bem provida, que tenho pra mim também ires precisar. As custas destas cenas não se pagam sozinhas, já para não falarmos de indemnizações e etc. 
(É que estás mesmo a pôr-te a jeito, tarda nada faço-te a vontade). 



7 - Eu não digo? A pores-te a jeito. Lá está.





PS: E isso do superares-te, demora muito ó quê...?


Outro PS: Qualquer divergência/alteração aos nomes de bloggers citados no #7 do texto copiado, deve-se exclusivamente à personalidade da autora do mesmo: confusa. 
Nada de ficarem agora uns magoados com os outros, porque uns estavam e agora não estão, e estão lá outros e não se quê. Calma, que Portugal ainda é nosso, tudo se resolverá. É dar-se-lhe tempo.




38 comentários:

  1. Parece que há um pedido de desculpas público a fazer à Palmier. Ainda não saiu, porque aquilo hoje deve estar sobrecarregado de informação.

    Acho que ela confundiu o Pipoco com o PID, que vai lá ao teu blog. Acho, não há certezas.
    (O que é só natural, porque parece que me chamo Barbosa, parece que devo é arranjar uma vida - diz ela em comentário anónimo no teu blog, indo ao teu blog, quando quer é sossego e acha mal isso de se andar em outros blogues - e parece que este post que comentamos agora, sou eu a falar dela. O que é estranho - no mundo das tontinhas - muito estranho que uma resposta a alguém, seja dirigida a esse alguém. Um fenómeno, mesmo).

    ResponderEliminar

  2. No entanto, se for presa, estou felicíssima pela hipótese de o Junkie poder ir comigo.
    Antecipo longas conversas, daquelas em que não se aprende nada.

    ResponderEliminar
  3. Porra.
    De todas as merdas ruins capazes de acontecer na prisão, não m lembraria de nenhuma pior do que levar com esse gajo.
    Ninguém merece.

    Onde é que está isso do pedido de desculpas?

    E já agora, vais trocar alguns tarecos?

    ResponderEliminar
  4. A Palmier deve estar tristíssima por ter sido confundida com o pipoco.
    Just saying...

    (calma, era só para ver qual era o gozo)

    ResponderEliminar
  5. O Junkie é fofo. Deixa-o sossegado, sff.


    Sei lá do pedido de desculpas! Às tantas foram ele e mais o cérebro todo, com o pai natal ao circo, e pronto, não voltam mais.


    Vou. Andas à procura de algo em particular?

    ResponderEliminar

  6. Eurhh .. Pois .. Isso, só as minhas e não posso vender, fazem-me falta.

    Não precisas de um candeeiro antodo, ou assim..? É lindo comá merda.
    Ora pensa lá bem.

    ResponderEliminar
  7. *
    antogo.

    Peço desculpas pelo erro. Às vezes falho ...
    'Tou a ver que preciso de explicações de Português.

    ResponderEliminar
  8. Pá.
    Fazem-te falta pró quê?

    Eu preciso de escrita criativa, tens prá troca?

    ResponderEliminar

  9. Ora essa! Pra porque sim, caramba. Vai que um dia me apetece abrir outro blog, e espetar lá com cenas bué da não sexys, hum??

    És mesmo parva.


    Tenho sim senhora. Valem 3 lições de pontuação. Topas?

    ResponderEliminar
  10. (apaguei o primeiro comentário só para perceber o frisson da coisa)

    ResponderEliminar
  11. Isa , que tal arranjares uma vida?

    Negas mesmo teres pedido amizade no facebook? ok, eu vou considerar a remota hipótese de, na altura, termos 2 amigas em comum, caso contrário como chegaria eu a ti?

    Porque vais tanta vez ao meu blog? Para quê a perseguição nos sites que eu frequento, nos blogues que comento? Qual o objectivo? Não tens um homem? Um cão? Uma casa para limpar?
    Uma vida?

    Se eu não presto, porque dedicas tempo a quem não presta, só te posso considerar tão doente como eu, porque desdenhas mas queres comprar.

    Não interessa quando vou publicamente pedir desculpas à Palmier, não te interessa nada da minha vida, se estivesse a morrer, preferia do que pedir-te ajuda.

    ResponderEliminar
  12. Papoila, vamos por partes, ok?(E repare que te estou de novo a responder - aqui no meu blog, porque no teu nunca poria minhas prezadas letras - sendo que sim, pela razão "resposta", estou a falar contigo, e logo, de ti).

    Não te devo satisfações. Quem acusa é que tem que provar. Certo?
    Enquanto pensas nisto e consideras aquilo, vê lá se consegues considerar também ires pró caralho, que não há raciocínio que te aguente.
    [Claro que nunca tu, mas alguém, um dia, me há-de explicar, qual a lógica que corrobora a certeza de uma pessoa ser determinada pessoa, porque se chama Isa e tem amigos em comum, no face].

    Ao teu belhéque-blog, vou as vezes que quiser, e mais uma vez, sem satisfações a dar. Mas dou. Vou, por exemplo, quando alguém repara que, a um post no Dúvidas, há uma reacção tua, ou quando me chamam a atenção para os teus comentários imbecis, again sobre a autora do Dúvidas, e normalmente sei disto, quando vou ao Dúvidas.
    Acho-te parva. Carente. Desparafusada, e cheguei a estas conclusões todas, exactamente pela tua conduta, que é parva, carente, desaparafusada, sem o menor sentido de oportunidade, educação e/ou respeito por seja quem for, que foi o comprovado por aquele teu comentário que fizeste à Filipa, e falares no Pai dela. A partir daí, passaste de "só mais uma gaja estúpida na blogosfera", ao desperdício de oxigénio que, como já referi, acredito seres.

    Acontece que eu gosto de dedicar tempo ao que não presta. Gosto de salientar o que não presta, para que assim, os "não presta", não pensem que saem destas coisas impunemente.Porque não saem. Mas não os (vos) persigo. Que era só o que me faltava. Até porque sei que a merda vem sempre cá parar, como se pode verificar, e portanto não o faço - nem em sites, nem em blogs, nem em porra nenhuma - mas só porque não tenho vida pra isso, e desde já o meu agradecimento a quem o faz e me proporciona as gargalhadas que tanto prezo. E mais a percepção do quão desvertebrado pode um ser, ser, de forma a queixar-se e sugerir processos judiciais, a quem o confronta com a pequenez de se andar, por exemplo, em blogs alheios, a denegrir outrem - com links incluídos - em comentários anónimos a insultar, em esperneios infantis no seu próprio blog, a usar fotos, no caso a minha, para comentar no meu proprio blog, a inventar nicks para dizer nada, que justifique sequer a trabalheira de o fazer.

    Quanto ao pedido de desculpas público, óbvio que interessa. Primeiro porque citaste o nome de alguém alheio a isto tudo, e depois porque disseste, em comentário, que te irias desculpar publicamente. Não o fazeres, de mesma forma como o citaste, será denotativo de má fé. No mínimo. Maneiras que agarra é em ti e vai lá àquele espaço fazer algo de útil, coerente e assertivo. Ok?


    Ps: Mas já que aqui vieste, pela ésima vez, diz-me cá: dás explicações de Matemática também?



    ResponderEliminar
  13. Isa, passo só para te dizer que sim, que tens carradas de razão naquilo de... Enfim... Next!

    ResponderEliminar
  14. Opá .. OBJECTION, Pinkoléte!

    Que inverdade tão grande!


    .. Sou capaz das declarações de amor e saudade, do mais açucarado que há, caramba, tenho testemunhas!!

    (São é pessoas normais, não sei se conta...)

    ResponderEliminar
  15. "Só sabes ofender, és uma merda!!!" Ahahahahahahahah melhor comentário de sempre!
    (Agora vou-me antes que leve, também eu, com um processo nas trombas.)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahahhahahahhahhahhahha

      Vais processar, Isa?
      Eu desprocessava tudo só pela gargalhada.

      Eliminar
  16. :)

    Nossa Pinketa é a epítome do paradoxo.

    Riqueza..

    ResponderEliminar
  17. Pinkoisa,

    Pronto, pediste desculpas publicamente à Palmier e Pipoco, e isso é bonito, decente, coisa de gente de bem, clap clap.

    Agora aproveitavas a onda, e paravas de usar os nicks todos que tens a uso, e mais os que tinhas a lavar e passar a ferro.
    Sim?
    É tão mais íntegro sermos só um, pá. E tão menos confuso.
    E tão menos ridículo.

    Olha, vai ver as notícias e vê que há coisas a acontecer para lá do teu umbigo.
    Hum?

    De nada.

    ResponderEliminar
  18. Cheguei a tempo?
    Isa:
    Vou processar-te.
    Dou explicações de matemática e não me pediste orçamento.

    ResponderEliminar

  19. Porra...

    Opá, combinem lá as coisas de modo a isso ir tudo num processo só, pode ser?
    Agenda cheia e o caneco, cá paciência pra notificação atrás de notificação, e está um frio do caraças pra se andar na rua.


    ResponderEliminar
  20. Wow, que comoção vai por aqui.
    Deve ter-se passado alguma coisa deveras importante.
    LOL
    ó Isa, não estás a implicar com a pinkonete? Até já fui ao blogue dela ver, e nada.
    Essa coisa das múltiplas identidades é uma das funcionalidades desta cena, tal como o anonimato que um nick proporciona, e ambas fazem parte, portanto porquê a indignação? O próprio Fernando pessoa tinha múltiplas identidades.
    Ela implica com a pepita, e depois? Coitada da pepita, até estou com pena dela que não se sabe defender. Já no blogue da pepita li coisas verdadeiramente questionáveis.
    Tu nem pareces tu pá!

    ResponderEliminar
  21. Não m'enerves, tá bem?

    Tudo na vida é verdadeiramente questionável, méne. Tens que fazer o obséquio de ser mais preciso, sobre o que te pareceu verdadeiramente questionável lá no blog da Pepita, e fazeres de conta que me importo.
    Por seres tu, explico, todavia, que a Pepita não precisa de mim para nada em termos de defesa, como te deves lembrar. Não falo por ela, ela não fala por mim e blabla, mas como falo quando me apetece, apetece-me falar quando entendo que alguém está a ser incomodado, apelando-se a cenas de cariz baixo, baixinho, em que a família é chamada à conversa ( e não me venhas com a cena da cabra e das tias, ou lá o que era, que isso era uma expressão generalista), maneiras que falei. E pronto.
    Isso da implicância também é um bocado relativo,na medida em que só funciona se há feedback e como por acaso, no caso, até há, olha, coiso. Né? Uma pessoa tem algum tempo livre, mas não o suficiente pra cabeleireiros nem manicures. Faz o quê? Implica, pois tá claro.
    E já que me vieste foder a marmita, ora atenta lá à coisa escrita em fundo preto, e depois vai ao blog da piquena, e compara com o que ela lá tem no #7 qué pra não estares aqui armado em parvo, e se voltas a fazer comparações estúpidas entre a multiplicidade de personalidades do meu FERNANDO PESSOA com o que se passa aqui, és capaz de me fazer perder as estribeiras de todo, e talvez aí me voltes a reconhecer.

    Olhá merda, tenho agora que estar a levar com isto.







    ResponderEliminar
  22. Pois que fui lá onde disseste, e prontes, gostei. Ela fala em mim. É a 1ª vez que falam de mim, e nem sequer falava mal. Vinha com aquela coisa do advogado, mas eu lá tenho medo de advogados? Da polícia já é outra conversa, mas adiante, e ainda por cima tem ares de dar umas baldas, a avaliar pela conversa, e de repente ainda me safo, eu e as mamas dela de que tanto se fala.
    Só estranho ela ainda não ter aparecido a comentar em apoio às minhas palavras, quer dizer, estranharia, se os comentários aqui não fossem moderados.

    ResponderEliminar
  23. Opá, não seja por isso.
    Se ela quiser vir dizer o quanto te ama, eu publico-lhe o comentário sem problema nenhum.
    Só impeço a entrada de bocas foleiras tipo "és uma burra loura" e afins, porque realmente não se está a dar novidade nenhuma, e porque não quero cá bate-papos de trocas de insultos, sem que pelo menos, pelo meio, haja algo de mais informativo, engraçado, ou outra coisa qualquer que justifique a perda de tempo.

    Por acaso agora até fiquei uma nesguinha magoada, sabes? Eu falo de ti. Já falei, aqui nesta caixa, e tu a desprezares assim o meu sentimento. Doeu. Espero que passe rápido, que ando duma fragilidade que é que nem te passa.

    ResponderEliminar
  24. De facto há cenas questionáveis no meu blog e das mais flagrantes é a temática: grandes paneleiros que lá aparecem, como e porquê?
    Ninguém o entende.
    E peloa vistos nem os próprios rotos.

    ResponderEliminar
  25. Não queiras comparar referirem-se a mim num post, com duas palavras num comentário. Além do mais a pinkonete não viria aqui dizer que me ama, como é que ela poderia amar-me sem me conhecer, como poderia amar-me sem antes mamar-me, mas adiante, sempre me aborreceu esta coisa da moderação de comentários.
    E não se fala mais da pinkonete, que não gosto de falar de quem não está presente, e por falar nisso, não me queres contar uma indiscrição?

    ResponderEliminar
  26. Ora cá está. Não veio o Pinkoléte, mas veio a Filipa.

    Qués responder, Junkie, meu caro amigo?

    ResponderEliminar
  27. Uma indiscrição...?
    Este gajo hoje é só tiro a melros...

    Não pá. Devia? Ou melhor; tenho uma indiscrição pra contar?

    ResponderEliminar
  28. Pepita, tens posto muitos ovos de 2 gemas minha marota? Sabes o que é uma epifania? Pois que tive uma, mas tu não deves querer saber, e eu não vou contar, portanto junta-se a falta de fome à anorexia, e é estranho estar a falar-te disto, não achas? Pois que deve ser um termo estranho aos contornos da tua pessoa, mas já agora, porque embicas com as mamas da outra, tu que és toda cÚ?

    ResponderEliminar
  29. Tens razão, não quero saber.
    É tão dissertares sobre mamaçais duvidosos como eu dar conversa a homens-gaja que é claramente o teu caso.
    A pinkona havia de te ficar bem.
    Ao peito, tipo broche.
    Tu no dela.

    ResponderEliminar
  30. Pepita, com diria a Isa, cá abracito...

    Eheheheheh

    ResponderEliminar